!-- Javascript Resumo Automático de Postagens-->

13.6.17

7 tiques que fazem mal à saúde


Não vale a pena negar, todos nós temos tiques. A verdade é que uns mais que outros, mas todos temos. São respostas involuntárias, automáticas e, muitas vezes, completamente inconscientes. Alguns são completamente inócuos, mas outros podem ser bastante prejudiciais para a nossa saúde.

Eu também tenho a minha dose de tiques. Já tive mais mas, à medida que me fui apercebendo do quanto estes prejudicavam a minha saúde, fui combatendo-os e acabando com estes. Estes foram alguns que eu já tive ( de momento, só mantenho um destes), e que aprendi que são inimigos da nossa saúde.


1. Roer as unhas: Este é um clássico sinal de ansiedade e nervosismo mas, para muitos, já se tornou um vício. Já foi um vício para mim ( tal como já disse aqui), mas agora orgulho-me de dizer que já não me lembro da última vez que roí as unhas. É um mau hábito que já ultrapassei. No entanto, ainda há muita gente com este tique, que é bastante prejudicial para a saúde. Além de fragilizarem as unhas, podem correr o risco de desenvolver infeções, uma vez que as bactérias da boca passam para as unhas e pele envolvente.

2. Estalar o pescoço: Faz-me sempre bastante impressão quando as pessoas estalam o pescoço, mas a verdade é que muita gente tem este tique ( sobretudo homens). Uma vez, um professor de Ortopedia meu explicou que o barulho característico do pescoço vem da libertação de "gases" das articulações. Contudo, apesar da sensação de alívio, a longo prazo este mau hábito pode enfraquecer as articulações e, em casos mais graves, causar lesões.

3. Tocar na cara: Num post que fiz sobre a acne, já tinha dito que estar sempre a tocar na cara pode agravar a acne, uma vez que as nossas mãos estão cheias de bactérias que, quando transportadas para a cara, causam o aparecimento de ainda mais borbulhas.

4. Ranger os dentes: Confesso, ganhei este tique há pouco tempo ( parece que, como já não roía às unhas há imenso tempo, tive que substituir o vício, infelizmente), e já percebi porque é que as pessoas que sofrem do mesmo problema se queixam, é mesmo terrível! Com o nervosismo e ansiedade, fazemos tanta pressão nos dentes que, a certa altura, nos dói os maxilares e, pior ainda, ficamos com dores de cabeça ( que é um mal com que eu já sofro muito, e não preciso que outros fatores as agravem). Aquilo que é mais grave, no meio disto tudo, é que ao rangermos os dentes constantemente, podemos estar a dar cabo dos nossos dentes.

5. Estar sempre a mastigar pastilhas elásticas: Sim, as pastilhas elásticas são ótimas para disfarçar o mau hálito e para aliviar o nervosismo em momentos mais stressantes porém, quando usadas em excesso, são muito prejudiciais. Estar sempre a mastigar chicletes pode criar disfunções mandibulares, além de causar danos no sistema digestivo. Podia-se dizer que o mal é o açúcar das pastilhas elásticas, mas agora, como a maior parte delas são sem açúcar, o problema está noutro lado. Sabiam que, quando consumidas em excesso, podem causar diarreia? Pois, eu cá não sabia, mas a verdade é que, se consumirmos de 18 a 20, é mais que certo. Mas mesmo que não cheguemos a consumir tanto ( o que, para mim, me parece um número absurdo, eu no máximo conseguia 5), pode causar vários problemas gastrointestinais, uma vez que estar sempre a mastigar algo engana o nosso estômago, faz com que este ache que ainda estamos a comer, afetando assim a nossa digestão.

6. Comer rebuçados: Comer rebuçados, por muito prazeroso que seja na altura, também não é solução para o stress. É certo que 2 ou 3 nunca fizeram mal a ninguém ( até dá energia), mas quando excesso são muito mais prejudiciais que pastilhas elásticas. Se comerem demais, ficam com os dentes cheios de açúcar, podem ganhar cáries e, na pior das hipóteses, diabetes. Portanto, o ideal é consumir com moderação ou optar por aqueles sem açúcar.

7. Roer a ponta das canetas e lápis: Admito, tinha muito este tique quando andava na primária, e até ao meu 7º ano. Era um vício realmente nojento, mas isso não me impedia de continuar com ele. Andei com este vício até ao dia em que tive um pouco de bom senso, e comecei a perceber a quantidade de bactérias que consumia inconscientemente. Os lápis e canetas andam literalmente por todo lado, por mesas, nas mesas dos nossos colegas, em estojos, bem em todo lado. E, em resultado disso, contêm muitas bactérias e germes, que nos podem expôr a vírus e doenças. Além disso, mesmo que estas bactérias não existissem, não é lá muito saudável para os nossos dentes estarem a morder e a roer coisas duras.


E vocês? Têm algum destes tiques? Quais são os outros tiques que têm e que podem ser prejudiciais à vossa saúde?

19 comentários:

  1. Eu tenho essa mania horrível de roer as canetas. É péssima mesmo!

    THE PINK ELEPHANT SHOE

    ResponderEliminar
  2. Não estou muito mal, desses sete, só costumo comer rebuçados!

    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
  3. Apenas me identifico com os pontos 3 e 7. Ainda hoje é costume estar sempre a tocar na cara, mas roer as canetas, fazia quando andava na escola.

    ResponderEliminar
  4. Também roía imenso as canetas mas felizmente já não o faço!
    beijinhos
    https://direitoporlinhastortas-id.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  5. De todos os hábitos que abordaste, identifico-me com o de mastigar pastilhas elásticas, mas não consigo mastigar mais do que 4 ou 5 por dia. Quanto a rebuçados, bem... como muito raramente mas quando o faço exagero muito na dose, confesso!

    http://cidadadomundodesconhecido.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Secalhar devias tentar comer mais frequentemente, e em menor dose, era preferível :).

      Eliminar
  6. Estou sempre a fazer o 3 e 7, não consigo evitar! Mas pelo menos já larguei o vício de roer as unhas!
    Beijinhos

    http://averamarques.blogspot.com

    ResponderEliminar
  7. De todas os tiques que enumeraste, só me reconheço no de estalar o pescoço e mascar pastilhas. Este último já foi um vício muito maior, lembro-me de uma fase da minha vida em que eu mascava demasiadas pastilhas, todos os dias. Agora é um vício quase inexistente, passo meses sem comprar ou mascar pastilhas, mas se me oferecem uma drageia... Não consigo dizer que não! :b
    A do estalar o pescoço, embora vá pagar as dívidas de o fazer, no futuro, dava um enorme jeito quando praticava basquetebol. Era um alívio tremendo e ajudava a soltar os membros. Acho que esta vai ser muito mais difícil de terminar x)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, conheço muitas pessoas que fazem isso porque, de facto, dá um alívio tremendo mas, a longo prazo, esse alívio não compensa o que podes vir a ter no futuro.

      Eliminar
  8. Infelizmente costumo praticar (inconscientemente, claro) o n.º 3 e 7. Tenho de parar rapidamente!
    Beijinhos grandes.

    http://bloomblogue.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  9. Admito que faço alguns desses e não me orgulho nada, vivo tentando parar!
    Estou seguindo.

    beijos, Ru.

    http://ruanablog.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  10. Estalar o pescoço. Eu faço issoo. Mas é porque sinto o pescoço preso e se não o fizer não estou bem!!

    ResponderEliminar
  11. Estalo muito o pescoço mas já perguntei ao ortopedista e fisiatra se faz mal e ambos me disseram que não faz mal nenhum a longo termo. Simplesmente assusta algumas pessoas
    Beijinhos
    Joana
    http://www.curlyhairandlipsticks.wordpress.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu já perguntei a vários professores meus, e eles não são dessa opinião... Suponho deva causar algo desacordo entre autores.

      Eliminar
  12. Já tive esse vício de estalar o pescoço, mas agora faz-me imensa confusão ver as pessoas a fazê-lo. Só recorro a isso quando me sinto mesmo muito aflita! Em contrapartida, não consigo evitar de estalar os dedos! É menos recorrente agora, mas acredito que os efeitos seja os mesmos de estalar o pescoço!
    Quanto a roer coisas, para mal dos meus pecados, os fios dos fones sofrem sempre que os utilizo, ahahah.
    Como sempre, uma publicação super informativa! Beijinhos!

    LYNE

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, os efeitos acabam por ser os mesmos...
      Obrigada :).

      Eliminar