!-- Javascript Resumo Automático de Postagens-->

27.5.17

13 coisas que eu não gostei em " Thirteen Reasons Why" ( sem spoilers)


Desde que a série " Thirteen Reasons Why" estreou, no dia 31 de Março, que se tornou imediatamente viral e  tem dado muito que falar. Na altura, como estava bastante ocupada com o estágio, não a consegui ver, mas há uns dias atrás pude finalmente satisfazer a minha curiosidade, e perceber o motivo de tanto alarido e polémica em torno da série.

Para quem não sabe, a série fala de uma jovem, a protagonista Hannah Baker, que se suicidou. Passado duas semanas, Clay, outro protagonista, recebe uma caixa com cassetes lá dentro. Ele fica surpreendido quando percebe que quem as enviou foi Hannah, e que, se as está a ouvir, é porque é uma das razões pelas quais a jovem se matou. As 7 cassetes, que têm todas dois lados ( mesmo a última, que contém a gravação número 13),  têm que  passar por todos os nomes da lista de Hannah, caso contrário, as gravações tornam-se públicas.

Quem me segue pelo Twitter sabe que, quando comecei a ver, era da opinião que esta série ia sensibilizar os jovens para procurar outros caminhos que não o suicídio. Contudo, à medida que fui vendo a série, comecei a aperceber-me que a esta, apesar das boas intenções, estava a fazer exatamente o contrário, a promovê-lo e até mesmo a glorificá-lo. E essa é apenas uma das coisas que não gostei nesta série.

Não me atirem já pedras nem me julguem! Houve muitas coisas que gostei na série. Tenho que dar o devido mérito pela escolha do elenco, e pela sua incrível prestação, bem como a escolha das músicas, que se adequam na perfeição a cada cena. Também gostei do facto de esta série retratar adolescentes reais, com problemas reais, como o bullying, pondo clichés de parte. Contudo, apesar de ser uma série viciante e intrigante, tem muitos defeitos que não consegui ignorar e que decidi falar hoje neste post. Este post não terá spoilers, para quem não viu a série poder ler mas, quando puder, estou a planear fazer uma versão com spoilers para poder discutir mais aprofundadamente certos assuntos.

Desculpem o post longo, mas queria dar a minha opinião bem fundamentada.


1. Simplifica o suicídio e dá ideia que há sempre alguém que tem culpa: Meus caros amigos, o suicídio não é simples. É uma doença mental e, como tantas outras, bastante complexa. Claro que, muitas vezes, muitas pessoas suicidam-se por desespero, como falta de dinheiro, desemprego, bullying,.. No entanto, há outras tantas vezes em que as pessoas se suicidam sem nenhuma razão aparente, isto porque nem sempre há razões que expliquem isto. Não tenho nenhuma formação em psicologia, mas sei que o suicídio não é algo linear. Pessoas diferentes respondem de maneira diferente a situações traumatizantes, e algumas podem suicidar-se e outras não. Às vezes, uma pessoa com uma vida aparentemente feliz, pode suicidar-se, porque não está bem interiormente. Portanto, não podemos generalizar nem achar que há sempre alguém responsável pelo suicídio de uma pessoa.

2. Realça o mito que o suicídio é egoísta: Eu sou da opinião que o suicídio não é egoísta. Quem o faz é porque acha que não tem outra solução a não ser tirar a sua própria vida, e não por " vou me matar que é para verem como eu faço falta às pessoas". No entanto, quem acredita nesse mito e vê a série, ainda fica a acreditar mais. O facto de a Hannah mandar cassetes a contar aquilo que os outros lhe fizeram é desconfortável, e é assim que deve ser, porque a moral da história é nós reconhecermos que as nossas ações podem ter efeitos que desconhecemos em pessoas que conhecemos. Mas o que é ainda mais desconfortável é assistir à forma cruel como a Hannah expõe o que lhe fizeram, como se o suicídio fosse a única forma de a voz dela ser ouvida.

3. Foca-se na ideia de que o bullying leva a suicídio: Já todos ouvimos histórias de jovens que sofrem de bullying e que se suicidam, mas será que é sempre assim? Li há uns tempos na net uma psicóloga a dizer " a tua experiência de bullying é válida mesmo que não sintas vontade de te suicidar, e os teus sentimentos de suicídio são válidos, mesmo que nunca tenhas sofrido de bullying", e é tão verdade! Tal como já disse, pessoas diferentes reagem de maneira diferente a experiências traumatizantes. Eu já sofri de bullying, e não foi por isso que me suicidei. É certo que não sofri tanto como muitos jovens, mas ainda assim demorei imenso tempo a ultrapassá-lo, e ainda hoje tenho algumas sequelas. Além disso, já vi, infelizmente, muitos jovens a passarem pelo mesmo, mas que conseguiram dar a volta por cima e ser felizes. A verdade é que, com apoio, força de vontade e muita perseverança é possível ultrapassar este tipo de experiências traumatizantes.  Não quero estar aqui a desvalorizar o bullying e a dizer que é normal, porque não o é, só estou a dizer que nem todos os jovens que sofrem de bullying se suicidam, que é o que a série aparenta transmitir.

4. Mostra o suicídio como uma forma de vingança: O facto de a Hannah gravar cassetes com os supostos responsáveis pela sua morte dá a ideia que ela se está a tentar vingar pelo que eles lhe fizeram. Eu sei que, provavelmente, não era essa a ideia que queriam transmitir, mas é o que parece!

5. A série toda transforma o suicídio em algo entusiasmante: Se pensarmos bem, toda a série é construída em torno de uma cena que, vamos admitir, toda a gente quer ver, a cena do suicídio, que é, digamos, o clímax da série. Criam muita antecipação, muito suspense em torno do momento, criando entusiasmo em torno de um suicídio. O suicídio não é suposto ser entusiasmante, não é algo que deva ser aguardado ansiosamente.

6. Cenas demasiado detalhadas: Ok, ok, eu sei que é suposto estas cenas darem um ar mais real e chocante à série, mas não nos podemos esquecer os miúdos de 12/13 anos também são o público-alvo. Portanto, das duas uma, ou os produtores metiam estas cenas menos explícitas, ou então classificavam a série como maior de 16 anos ( o que não adiantaria de grande coisa, porque os jovens gostam de ver coisas que supostamente não é para a idade deles, mas ao menos estavam avisados e não eram apanhados de surpresa). É que há cenas que até a mim, que já tenho 20 anos e já vi muitos filmes mais violentos, me fizeram tremer. Principalmente, a cena do suicídio de Hannah Baker, que até tive que desviar o olhar algumas vezes!

7. Mostra o método exato de suicídio: E por falar em cenas detalhadas, falemos da cena de suicídio. Na minha opinião, foi demasiado detalhada. De acordo com muitos psicólogos, nunca se devia mostrar em filmes e séries os métodos exatos de um suicídio, porque isso pode aumentar exponencialmente a taxa destes. Eu não sou de uma opinião tão extrema ( porque gosto de filmes que retratem também a realidade) mas, tendo em conta que o público-alvo desta série é muito jovem, é mais vulnerável a estas cenas e, ainda mais perigoso, pode querer imitá-las.

8. Retrata a ideia irrealista que o suicídio é muito bem planeado: Ao vermos a Hannah a gravar cuidadosamente cada cassete, a contar calmamente cada história, com um tom sarcástico, dá a sensação que ela planeou tudo meticulosamente de forma racional, incluindo o seu suicídio. Na realidade, uma pessoa que se suicida, é uma pessoa que é emocionalmente instável e/ou está a passar por um crise emocional, pelo que é praticamente impossível ser racional ao ponto de gravar cassetes e planear antecipadamente a sua morte, especialmente se for um adolescente que ainda está a construir a sua identidade.

9. O suicídio não é glamoroso: " Thirteen Reasons Why" mostra o suicídio como algo glamoroso, romântico até. Contudo, o suicídio não é romântico, é uma doença. De acordo com vários estudos, 90% das pessoas que cometem suicídio sofrem de alguma doença mental. Portanto, é preciso parar de romantizar o suicídio e parar de mostrá-lo como uma forma de nos revoltarmos contra as insjutiças da vida e de nos tornarmos heróis.

10. Pode tornar o suicídio uma moda: Após o fenómeno " Baleia Azul", é seguro dizer que a geração atual de adolescentes está, mais do que nunca, muito vulnerável a sofrer de depressão e, sobretudo, a tentar o suicídio. Portanto, séries como esta só irão exarcebar este problema, fazer com que o suicídio se torne numa tendência cada vez maior entre jovens, em vez de o combater.

11. A série não sugere nenhuma forma eficaz de combater o suicídio: A série não sugere nenhuma forma para prevenir o suicídio. Fala-se tanto sobre este tema, mas, em nenhum minuto de nenhum episódio sugerem uma medida sequer para combater este problema. E se o objetivo era combater o suicídio, acho que isto deveria ter sido feito.

12. Não me consegui identificar com a Hannah: Acho que muitos concordarão comigo que uma das coisas que mais contribui para gostarmos de um filme ou série é identificarmo-nos com a personagem principal, sentir que estamos a vivenciar o mesmo que ela e a ter as mesmas emoções. Contudo, não me consegui identificar, de todo, com a Hannah Baker. Achei-a demasiado dramática, egoísta e muito mimada. Tudo bem que ela passou por muitas experiências traumatizantes mas, na minha opinião, e sem querer dar spoilers, existiram personagens com razões muito melhores para se suicidarem do que a dela, se avaliássemos o suicídio em termos de razões como a série fez.

13. Acabaram por incentivar o suicídio em vez de o combater: Este é o grande problema desta série. Eu sei que o objetivo era combater o suicídio, sensibilizarem os jovens, mas falharam redondamente! Acabaram até por promovê-lo. Acabam por mostrar o suicídio como forma de uma pessoa ser imortalizada ( no início do primeiro episdódio, é mostrado um memorial de Hannah Baker, e antes dela morrer ninguém queria saber dela), admirada e até glorificada. Já estou a imaginar raparigas novinhas a ver a personagem principal como um ídolo, e a querer fazer o mesmo! Os realizadores e produtores de filmes/séries têm que ter, mais do que ninguém, cuidado a transmitir mensagens!


E vocês? Já viram " Thirteen Reasons Why"? O que acharam?

18 comentários:

  1. Olá,

    Eu quis ver a série exatamente por dizerem que a série está a incitar os mais jovens a fazerem cassetes sobre pessoas que os magoaram. E sim, concordo bastante contigo, eu nem consegui olhar para o momento em que a personagem principal realiza o ato do suicídio, são imagens muito fortes. Há duas saídas possíveis, ou nos identificamos com aquilo no bullying e admitimos que uma vez ou outra também o fazemos com alguém, mesmo que o propósito seja só chatear, porque em algum momento também já nos fizeram ou aquilo é, profundamente imprudente por parte dos realizadores, principalmente na parte "extremamente sexual"..., não sei se me estou a fazer entender, mas eu gostei da série e retrata muito bem o que se passa numa escola cheia de crianças diferentes. e demonstra que o que eu possa dizer pode ter diferentes percepções em quem ouve.

    http://sarcatsilva.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também vi por esse motivo.
      Eu identifiquei-me com a parte do bullying e do facto de o secundário poder ser duro, mas não me identifiquei de todo com a Hannah, e acho que acabaram por passar a mensagem errada em relação ao suicídio.

      Eliminar
  2. Ainda não vi mas tenho alguma curiosidade!

    ResponderEliminar
  3. eu adorei a temporada, e penso que de alguma forma queriam passar a mensagem do não-suicídio, mas lá está, essa ideia não ficou bem clara porque o tornou bem explicito ao revelar como o fazer.. gostei muito, mas confesso que várias vezes me surgiu no pensamento que muitos jovens/pessoas (digamos assim) depois da série estariam mais incentivados para cometer essa atrocidade (principalmente pessoas que já tivessem algum distúrbio)..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também gostei, só não gostei destes aspetos que referi. Uma pessoa, a certa altura, teve que esquecer a mensagem que queriam passar, e focar-se só na ficção para gostar.
      Eu também fiquei a achar isso: os jovens, principalmente os mais novos, com 12/13 anos, podem ficar mais incentivados a cometer suicídio.

      Eliminar
  4. Nunca estive muito tentada a ver a série pela maneira como foi publicitada. Promete-nos o mistério de desvendar o porquê da morte da Hannah e eu só consigo associar ao How I met Your Mother e categorizá-la como uma How I Met Your Mother com um mote trágico.
    Coloca em antena - e durante tempo demais - as "vertentes" do suicídio que não vale tanto a pena assim destacar.
    Espero ver e mudar de ideias.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não me parece que vás mudar de ideias, é mais ou menos assim.
      Pondo de parte a mensagem que queriam passar ( e falharam), eu até gostei, mas não achei o final da série tão inesperado como o pintaram, a certa altura eu consegui prever as cenas finais.

      Eliminar
  5. (vou dividir o comentários em dois porque é muito longo e o blog não aceita comentários tão longos, aparentemente xd)
    Eu vi a série e tenho uma opinião sobre ela, e discordo contigo em alguns aspectos, vou por pontos tal como tu:
    1- Não acho de todo que a série simplifique o suicídio, acho que o suicídio é tratado de uma forma bastante crua, o facto de abordar o desespero dos pais ao longo da série, o sentimento de culpa do Clay, e como a vida de todos muda faz com que mostre o quão difícil é e a quantidade de vidas que este afecta.
    2- Neste aspecto concordo contigo, mas eles tinham de adicionar drama à serie.
    3- Entendo o teu ponto de vista, a realidade é que o bullying contribuiu para o suicídio da Hannah, mas uma violação não é bullying, uma violação é crime, tal como assistir a uma, ou tal como contribuir de certa forma para a morte de uma pessoa (Jeff), eu acho que o bullying é abordado na maior parte das cassetes mas não é o principal responsável pelo suicídio.
    4- Não fiquei com essa ideia, mas sei que há muitas pessoas que sim... eu fiquei com a ideia de ela querer transmitir um "abre-olhos", para aquelas pessoas.
    5- Eu nunca pensei, que a série incluía a cena da Hannah a suicidar-se, pensei simplesmente que iam relatar o que tinha acontecido e que iriam mostrar o corpo dela por isso não me entusiasmei nem um pouco com esta parte da série (no fundo sempre desejei que ela estivesse viva)
    6- Acho que as cenas explicitas são necessárias nesta série, não o suicídio que acho que realmente é demasiado duro de ver.

    (continua no próximo comentário)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também vou comentar por pontos, para ser mais fácil de perceberes a minha opinião :).
      1- Eu não desvalorizo isso, eles abordaram o assunto de forma crua, mas ao mesmo tempo acho que simplificaram um bocado a coisa, talvez para dar mais sentido À história, mas o que é certo é que simplificaram.
      3- Sim, mas a série girou muito mais à volta do bullying, essas foram mais razões secundárias que, num efeito de bola neve, contribuíram para tal.
      4- Sim, foi um "abre-olhos" para essas pessoas, mas a forma como ela o fez foi demasiado vingativa, na minha opinião.
      5- Eu também sempre desejei que ela estivesse viva, mas houve muitas pessoas que se entusiasmaram com essa parte.
      6- Já expus o meu ponto de vista neste ponto.

      Eliminar
  6. (continuação)
    7- Acho que quem realmente se quer suicidar sempre arranja uma forma, e cortar os pulsos é a mais conhecida e já falada e mostrada muitas vezes em televisão, mas não acho que a cena seja um livro de instruções de como cortar os pulsos, ou de como se deve cometer o suicídio.
    8- Concordo contigo, mas a ideia com que também fiquei é que ela nunca acreditou verdadeiramente que ia cometer tal acto, pois no ultimo episódio ela própria afirma que tinha estado a trabalhar em algo estúpido e que queria procurar ajuda para não ter de chegar ao ponto de se matar.
    9- Não identifiquei nada na série que mostrasse o suicídio como romântico ou glamoroso.
    10- Há mentes para tudo como é óbvio, e cada um vai interpretar a serie à sua maneira, mas daí a se tornar uma moda acho que está um grande passo, penso que ninguém vê esta série e pensa "Ei quero mesmo fazer o que esta rapariga fez, é fixe!"
    11- Eu acho que a forma de combater o suicídio está representado nas entrelinhas da série e em cada cassete. Procurar ajuda como a Hannah fez, mas com pessoas certas, falar com as pessoas de quem gosta (pais / clay / amigos), tentar combater o bullying, Basicamente fazer o contrário do que a Hannah fez.
    12- Esse ponto é o que eu mais discordo, (não o facto de não te identificares com a Hannah, isso é normal, eu também não me identifico porque nunca na vida passei por metade do q ela passou), mas não concordo que as pessoas digam "ah a razão numero X não era razão para ela se matar".... Ela não se matou pela razão nr 1, ou pela razão nr 2, ela matou-se pelo acumular de porcaria que se passou na vida dela. A miúda foi sempre tratada como a P*ta da escola e era sempre assediada e tratada como "a fácil", a miúda assistiu a uma violação de uma amiga, a miúda foi violada, a miúda esteve num acidente que causou outro acidente e uma morte, a miúda tinha os pais cheios de problemas financeiros.. fogo isto tudo junto dá um esgotamento total da pessoa.
    13- Entendo que tenhas ficado com essa ideia, mas as pessoas que ficaram fãs da Hannah (katherine langford), são pessoas que agora a vão seguir nas redes sociais a ela e aos outros miúdos e o trabalho que eles tem feito no combate ao bullying e ao suicídio tem sido incrível, mesmo! Eu pelo menos, depois de ver a série, fiquei curiosa com os actores e não com as personagens, e depois de pesquisar sobre eles fiquei super surpresa por toda a campanha que eles tem feito.
    Desculpa o comentário longo e a discórdia mas de facto este assunto é bom ser debatido e fazer uma troca de ideias sobre a série, mas esta é a minha opinião face aos 13 pontos que mencionaste. :)
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. 8- Olha os spoilers para o resto do pessoal que não viu xD. Sim, mas ela pediu ajuda mais por uma descarga de consciência, ela já estava a planear ir em frente na mesma.
      9- Eu acho que sim. Se reparares, nas cenas de violações, elas põem aquilo de forma sexy quando não é suposto o ser, e mesmo a cena de suicídio, a Hannah está mesmo muito bonita.
      10- Isso depende da maturidade das pessoas. Se todos tivessem maturidade como tu, nunca na vida teria aparecido o fenómeno " Baleia Azul".
      11- Sim, falaram, mas quase nada. Acho que deviam ter realçado mais esse aspeto na série.
      12- opá, eu sei que isso tudo dá cabo de uma pessoa, mas como irei secalhar debater num outro post, ouve muitas situações que ela facilmente poderia ter evitado. Por exemplo, no caso da própria violação dela, quem é que no seu perfeito juízo entra numa casa de uma pessoa que sabe que é um violador, continua lá, vai para o jacuzzi, e ainda se deixa lá ficar sozinha com o violador depois de todo o pessoal sair? A rapariga não tem instintos de sobrevivência. Se eu tivesse no lugar dela, primeiro nem saía de casa nessa noite, mas caso saísse e fosse à festa, mal me apercebesse que era a casa do violador bazava logo.

      Não faz mal, gostei de ler o teu comentário, adoro debater sobre séries, e principalmente assuntos destes. Sente-te sempre à vontade para partilhares as tuas opiniões, serão sempre bem vindas :).
      Beijinhos

      Eliminar
  7. Ainda não vi a série, pelo que não posso opinar. Mas ando super curiosa!
    THE PINK ELEPHANT SHOE // GANHA UM MEGA CABAZ DE VERÃO

    ResponderEliminar
  8. Sinceramente achei o enredo interessante (já queria ler o livro há muito) mas desisti a meio por ser muito lenta e ter dificuldade em acompanhar séries com falta de ação! Este sinceramente foi o principal factor que me fez não gostar da série mas concordo com todos os que referis-te!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu, apesar de todos pontos contras que referi, não consegui não ver a série. A história, apesar de claramente ficção, era muito viciante! Nisso da ação não falhou.

      Eliminar
  9. Eu adorei a série e a minha opinião é um pouco diferente da tua. Vou explicar porquê:
    realmente, não podemos só culpar as pessoas à nossa volta, mas que algumas delas contribuem muito para ansiedade e depressão e, consequentemente, pensamentos suicidas, não se pode negar. Sei porque vivi isso, mas é claro que cada um reage de forma diferente às atitudes e palavras das outras pessoas. Também não acho que a série aponte o suicídio como única saida do bullying, até porque muitas outras personagens sofrem bullying e só aconteceu um suicídio.
    Pode parecer que as cassetes são uma forma de vingança, mas eu interpretei-as como um alerta, para que as pessoas entendam que o bullying pode ter consequências graves.
    Assim como dizes que não se pode culpar apenas as outras pessoas pelo ato de suicídio, a mesma lógica se aplica a um programa de TV/série. Quando dizes que a série pode promover o suicídio, também estás de certa forma a generalizar e a atribuir a responsabilidade dos problemas mentais de um grupo de pessoas a uma série. Quantos programas de TV não têm cenas bem mais fortes e depressivas e não vejo fazerem críticas desse género. Por essa lógica, não deveriam existir filmes com assaltos ou sequestros, por exemplo, pois promoveriam esses crimes.
    Eu vejo o memorial da Hannah como uma forma de mostrar a hipocrisia das pessoas, e percebi mais pena do que admiração por ela. Uma pessoa que comete suicídio, assim como alguém que morre de outra forma qualquer, geralmente é falada durante algum tempo, mas não significa que seja "admirada" ou "glorificada", usando as tuas palavras. É claro que as pessoas proferem palavras agradáveis sobre ela, mas aconteceria o mesmo se ela tivesse falecido num acidente de carro.
    Quanto ao facto de mostrar exatamente como o suicídio aconteceu: é uma cena chocante. Eu acredito que qualquer pessoa que tenha ponderado o suicídio sabe como isso aconteceria, então essa cena não é tanto uma novidade quanto é um choque.
    Concordo contigo, no entanto, que a série realmente não sugere outras formas de combate ao bullying. Parece que vai haver segunda temporada, então esperemos que ela aborde pelo menos uma solução alternativa.
    Sei que discordei de ti na maioria dos pontos, mas ainda assim acho que esta foi uma das críticas mais coerentes e claras que vi pela internet. Acho que soubeste expressar-te bastante bem. E, enfim, esta foi apenas a minha opinião (desculpa o testamento haha). Ah, e aguardo o post mais detalhado, estou curiosa :)
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, contribuem, mas não podemos meter as culpas todas nessas pessoas, e foi o que a Hannah fez.
      De facto, é um alerta, mas também acabou por soar um pouco a vingança. Sei que essa, não era, provavelmente, a intenção do autor, mas foi o que pareceu.
      Não estou atribuir as culpas de problemas mentais a uma série. Só estou a dizer que, para pessoas com problemas mentais ou com tendências depressivas, como são mais suscetíveis a estes assuntos, pode empurrá-las ainda mais para maus caminhos. Sim, claro, mas nos filmes de assaltos eles não pintam aquilo como " o bem", e aqui o suicídio quase que é mostrado como uma forma de afirmação.
      Sim, também é por pena, mas há certas pessoas que a glorificaram. Por exemplo ( alerta spoiler para outros leitores), no primeiro episódio, houve duas raparigas que tiraram uma foto junto do memorial dela e puseram a hashtag " never forget" e isso mostra que a glorificaram um bocado.
      Sim, talvez aí abordem soluções para combater o bullying e o suicídio, estou curiosa.

      Muito obrigada :). É a tua opinião, e fico muito feliz por a teres expressado, porque isto é uma das melhores coisas da blogosfera, haver espaço para debate, e eu adoro debater livros/filmes/séries. Vai sair brevemente :).

      Eliminar
  10. Também estava muito curiosa para ver esta série, vi em 3 dias. E também já tive a oportunidade de escrever sobre ela no meu blog! Concordo contigo em alguns dos pontos que disseste, principalmente no ponto de ter cenas demasiado explítitas! Mas na minha opinião o objetivo da série é um pouco mostrar que o Bullying não é nem deve ser uma coisa normal no nosso crescimento! Nesse aspeto acho que os autores conseguiram, apesar de ter sido usado um exemplo muito extremo do que pode acontecer.

    Enfim, estou curiosa para ver o teu post mais detalhado!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho que ler a tua opinião então :).
      Sim, nisso não falharam. Mostraram o bullying como uma realidade dura e cruel em vez de algo "normal" como acontece em muitos filmes sobre o secundário.
      Sai brevemente :).

      Eliminar