!-- Javascript Resumo Automático de Postagens-->

7.7.17

5 vantagens surpreendentes de teres sido um patinho feio


Quando era mais nova, até aos meus 10 anos, eu era uma criança linda. As fotos dos inúmeros álbuns que os meus pais têm guardadas num móvel da sala de jantar comprovam isso. Eu tinha um cabelo castanho claro, com caracóis bem definidos ( como aqueles que vemos nas publicidades da Garnier), tinha um peso considerado normal para a minha idade... Pronto, já perceberam, eu era bonita.

Por volta dos 10 anos, misteriosamente, eu torno-me num patinho feio. O meu cabelo cheio de caracóis definidos transforma-se num cabelo seco e demasiado grosso, que mais parece uma vassoura. Cresço muito mais rápido do que as outras raparigas, não conseguindo engordar na mesma proporção, o que deixa o meu corpo extremamente magro, e me valeu alcunhas como " girafa" e " palito". Como se a situação já não fosse má o suficiente, o meu cérebro também não conseguiu acompanhar o meu crescimento repentino, fazendo com que eu tenha andado uns tempos de forma desajeitada ( o que fez com que os meus pais me levassem ao médico, mas este afirmou que era próprio da idade, de quem cresceu muito depressa, e que iria voltar a andar com equilíbrio). Não me venham com tretas de que " até podias ser bonita, tinhas era falta de autoestima". Eu era, reconhecidamente, feia, e mesmo que os padrões de beleza irrealistas da sociedade mudassem, eu continuaria a ser reconhecidamente feia.

Pela descrição que eu fiz aqui já devem ter percebido que eu não fiz parte do grupo de raparigas que foi abençoada com uma beleza de adulta logo aos 13 anos. Consequentemente, eu não pertencia ao grupo das populares. Durante anos, isso atormentou-me imenso, achava que, por esse motivo, me iria tornar numa adulta falhada e sem amigos. Agora sei que isso não é verdade.

Agora, aos meus 20 anos, numa altura em que já sou e me sinto bonita ( voltei, como que por magia, a ter o meu lindo cabelo encaracolado, já não sou exageradamente magra, nem a mais alta), sinto-me grata por ter sido um patinho feio. Porque isso tornou-me numa pessoa com um bom carácter, e deu-me inúmeras lições. Aqui estão algumas razões pelas quais ter sido um patinho feio pode ter sido vantajoso para ti.


1. Não desejas ser o centro das atenções: Nunca foste popular na escola. Na verdade, nunca tiveste muitos amigos. Nunca foste o assunto do momento nem uma pessoa invejada por muitos. Basicamente, nunca foste o centro das atenções. No início, gostavas de ser o centro das atenções como alguns miúdos, mas esse desejo desvaneceu-se com o tempo. Nos entretantos, tornaste-te um/a bom ouvinte. Como achavas que tinhas uma vida demasiado aborrecida para partilhar, limitavas-te a ouvir o que os outros tinham para dizer. Agora, em adulto, ser bom ouvinte revelou-se ser uma grande qualidade. És capaz de ouvir e aceitar bem opiniões construtivas, não esperas ansiosamente pelo fim de uma conversa para começares a tua ( porque estás atento/a à conversa que está a decorrer), e sabes apoiar as pessoas, porque as ouves e compreendes.

2. Não és mau/má: Como não eras fisicamente atraente, tiveste que desenvolver outros aspetos da tua personalidade para fazer com que as pessoas falassem para ti. Não te podias dar ao luxo de ser mau/má como as pessoas populares e bonitas da escola, porque ninguém iria tolerar isso vindo de ti.

3. Não te levas demasiado a sério: Eu aprendi que a vida é muito mais fácil quando temos a capacidade de nos rirmos de nós próprios. Na Básico, eu era muito gozada pelos rapazes e raparigas populares, pelo facto de ser muito magra, pálida e alta. No entanto, passado algum tempo, fartei-me de chorar por causa disso, e desenvolvi, juntamente com o meu grupo de amigos tão "esquisito" como eu ( esquisitos para os outros, nós só éramos diferentes, e sei agora que ser diferente é bom), um mecanismo de defesa. Antes que qualquer outra pessoa gozasse de alguém do grupo, nós gozaríamos de nós próprios. Por isso, enquanto que os outros estavam demasiado preocupados com as suas roupas de marca e em manterem-se populares, não ríamos das situações embaraçosas que nos iam acontecendo, inventámos alcunhas ( engraçadas em vez de ofensivas) uns aos outros, e até chegávamos a fazer caricaturas uns dos outros. Foi a nossa maneira de atravessar os anos difíceis da adolescência com mais leveza e de forma mais positiva.

4. Desenvolveste talentos e ganhaste vários passatempos: O principal talento dos populares é ser bonito. Se tentarmos procurar mais alguma coisa para além das superfície, a maior parte das vezes, não encontramos nada. Não querendo generalizar, mas a maior parte dos adolescentes populares são maus alunos, filhos rebeldes, e não têm nenhum talento ou passatempo especial ( sim, porque ter como passatempo bullying não conta). Os patinhos feios têm, frequentemente, que arranjar passatempos e desenvolver capacidades que compensem o facto de não terem uma aparência atraente. Não é por acaso que vemos muitas crianças assim a serem génios na Matemática ou nos computadores, por exemplo.

5. Aprendes desde muito novo/a que a vida não é justa: Sabes que não se deve julgar as outras pessoas pela sua aparência mas, infelizmente, é o que a maior parte das pessoas fazem. E isso também funciona assim fora do mundo dos adolescentes. A realidade é que a sociedade favorece sempre as pessoas mais bonitas em vez das mais inteligentes. Nas entrevistas de emprego, por exemplo, a aparência conta imenso. Felizmente, aprendeste desde novo/a que a vida não é justa, pelo que nunca irás dar nada como certo e irás lutar sempre por aquilo que queres.


E vocês? Em crianças, eram o patinho feio? O que aprenderam com isso?

26 comentários:

  1. Não imaginas o quanto me identifiquei com este post. Considerei-me o "patinho feio" desde pequena, o que acabou por ir até ao meu secundário. Se a minha autoestima não era a melhor, os comentários maldosos dos adolescentes populares - ou que simplesmente gostavam de humilhar os outros - faziam o resto, contribuindo para que cada dia tivesse um quê de desafio.
    Ainda assim, também concordo contigo com os aspetos que referes como vantagens. Sem dúvida que me considero uma pessoa bem mais humana do que seria se não tivesse passado por algumas situações e, agora que me sinto confortável comigo mesma e me aceito de uma forma saudável mas não narcísica, considero isso como positivo.
    Como sempre, obrigado pela partilha! *

    With love, Miss Melfe ♡

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os acontecimentos maus, por muito humilhantes que sejam e que nos façam sofrer na altura, acabam sempre por contribuir para nos tornar uma pessoa melhor.
      Fico muito feliz por saber que agora te aceitas como és :).

      Eliminar
  2. Aprendi a não ligar ao que os outros possam pensar e, sobretudo,a lutar por aquilo que quero porque quem decide a minha vida sou eu e não os outros :)~
    http://bloguedacatia.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. Eu tive uma história parecida com a tua. Em miúda era super gira e tinha um cabelo lindo. Depois chegou a uma altura em que foi tudo por água abaixo. Nunca sofri muito bullying e o pouco que sofri (coisas parvas de dois colegas meus) foi rapidamente esquecido. Para mim o ponto de viragem foi a faculdade. Antes era muito fechada e isso fez com que só tivesse 2/3 amigos. Ainda assim arranjei namorado antes da menina gira e popular da minha turma. E isso foi um golpe tão duro para ela (visto que eu era o patinho feio da turma) que até se fez ao meu namorado da altura. Eu cá ri-me, pela falta de noção.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foi bem feito para essa rapariga, para aprender que não é melhor do que ninguém. Fogo, que lata que teve, a tentar-te roubar o namorado. É mesmo uma falta de noção.

      Eliminar
  4. Identifiquei-me com este post (= no meu caso, foi quando mudei de escola e passei de fazer ballet e natação quase todos os dias para não fazer nada, o que me fez engordar. Felizmente, também nunca cheguei a um ponto muito extremo mas, o aumento de peso, a mudança de escola e os problemas que se estavam a passar em minha casa foram uma combinação desastrosa =p mas já passou e se não tivesse passado por isso, não seria quem sou hoje (;

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, são tudo coisas que afetam muito uma pessoa. Ainda bem que ultrapassaste esses problemas :).

      Eliminar
  5. Nunca me senti o patinho feio, sinceramente.

    ResponderEliminar
  6. Realmente, podemos tirar algo bom de situações menos boas, talvez sejam aquelas em que se aprende mais. A dificuldade está em ver isso, mas viste, superaste e, de certeza, que isso te tornou mais forte, mais sensível e esclarecida perante a vida. E a vida vai sendo um acumular de situações, melhores, piores, mas deve ser encarada com esse espírito, de aprender e superar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não diria melhor. São este tipo de situações que nos fazem crescer e aprender.

      Eliminar
  7. Como eu compreendo, mas eu ainda continuo a ser.

    https://acasadabrancadeneve.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho a certeza que irás conseguir ultrapassar a situação :).

      Eliminar
  8. De nenhum modo, quero incomodar ou provocar alguma intimidação.

    Porque não pões uma foto tua? Tens medo de ser quem és? Nunca faças, isso publica uma foto tua no "Sobre Mim" fica melhor e aparenta que tens confiança em ti.

    Esconderes-te por detrás de um blog, não é bom. Quer dizer é bom não saberem quem tu és e como realmente tu és por detrás de um blog.

    Mas assim não revelas que tens auto estima, mesmo sendo bonita ou não há maquilhagens para isso... E não te preocupes não quero gozar nem rir de nada.

    É apenas um comentário a parte, mostra quem és e não tenhas medo de ser quem tu és, sê tu própria! Ao publicares uma foto não estas a fazer ou a pedir atenção! Só se for como as raparigas do Facebook que publicam fotos 15 em 15 minutos.

    Hehehe, a sério ganha coragem e publica uma foto tua, demonstra confiança, segurança de quem tu realmente és.

    Abraços! (Não sou do sexo feminino!) e tenho a mesma idade que tu :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada pelo teu comentário, não te preocupes, não estou de maneira nenhuma ofendida :).

      Eu não sou anônima por me estar a esconder, eu não tenho vergonha de ser quem sou, aliás, tal como disse neste post, tenho muita autoestima. Não tenho medo de estar exposta, até porque já existem alguns leitores meus que já me viram e sabem quem eu sou.

      O motivo pelo qual eu sou anónimo é um pouco complicado de explicar. Certas pessoas, nomeadamente os meus pais, não aceitariam muito bem o facto de eu ter um blog, podendo mesmo obrigá-lo a eliminá-lo. Neste momento, esta é a única forma de continuar a escrever nele e fazer o que bem me apetece. Num futuro próximo, poderão conhecer-me e verão uma foto minha, mas este não é o momento ideal.
      Contudo, obrigada pelo comentáro. Eu sei que tu podes não acreditar, mas eu própria já estou farta do meu anonimato, quando puder livrar-me dele, faço -o logo.
      Beijinhos

      Eliminar
    2. Deixa-me só acrescentar que, muita da essência da blogosfera está-se no ser anónimo, não por termos medo do que acontecerá se nos descobrirem, "do que as pessoas vão pensar de nós". Mas porque é aqui que está muita da "piada" deste nosso mundinho :)

      Eliminar
    3. Sim, ser anónimo tem o seu encanto, mas um dia eu hei-de ter um blog público, acho que já não aguento muito tempo anónima.

      Eliminar
  9. Nos anos em que fui mais infeliz na escola usava óculos de massa e aparelho, além disso, tinha franja e a minha mãe obrigava-me a ir com roupa que parecia da minha avó para a escola. Admito que me sentia absolutamente deslocada do meio em que vivia, uma vez que as raparigas se vestiam todas bem e compravam coisas novas todas as semanas. Porém, como a ti te ensinou tudo isto, a mim ensinou-me a dar valor às coisas boas que eu tinha. Sei que, possivelmente, todas as pessoas bonitas da altura também devem ser agora agradáveis e simpáticas... de qualqer forma, eu não julgo logo à partida uma pessoa pelo seu aspecto, pois sei bem o que é não ter o aspecto que desejava.
    Não digo que as pessoas belas desde sempre não saibam o que estes 5 pontos são, até porque também não deve ser fácil viver sempre no spot light, percebes o que quero dizer?
    Beijinhos,
    Joaninha.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Compreendo perfeitamente o teu ponto de vista. Tal como já tinha dito no post, não quis generalizar, há muitas pessoas como as que eu descrevi, mas também existem muitas pessoas assim. Acredito que existam pessoas bonitas por dentro e por fora, e tu és um exemplo:).

      Eliminar
  10. Identifiquei-me TANTO com este texto! Nunca me senti muito bonita. Era (e sou) super magra, tinha a cara cheia de borbulhas, os peitos sempre foram pequenos, ao contrário das outras meninas, tive os dentes tortos, usei aparelho, sempre fui muito tímida e recatada. Resultado: Bullying até ao 9º ano. Depois tudo começou a mudar. E a melhorar. Penso muito sobre como essa fase, e o que eu era, marcou a minha personalidade e a minha maneira de olhar o mundo. Revejo-me em tudo o que escreves. Também é bom o facto de, ao não se ser "popular", ao ser o "patinho-feio" não temos muita gente à nossa volta. Então as amizades são mais verdadeiras. Podem ser menos, mas são boas e são das que se conseguem guardar para a vida. Sabemos mais facilmente em quem confiar. Porém leva-se mais tempo a conseguir confiar em alguém.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo, as amizades que fazemos são mais verdadeiras, porque temos a certeza que as pessoas não se estão a aproximar de nós só por causa da nossa aparência.

      Eliminar
  11. Identifiquei-me imenso minha querida! Só me fez crescer enquanto pessoa!
    THE PINK ELEPHANT SHOE

    ResponderEliminar
  12. identifiquei-me imenso mas nunca me considerei o patinho feio era apenas uma miúda mais introvertida nunca fui de rir as gargalhadas só para chamar atenção lol se é que me entendes :) Mas em miúda ficava irritada comigo própria porque não socializava como as outras pessoas era aquela coisa do "quero ser igual" Mas felizmente no inicio da adolescência descobri que ser "diferente" era bom e posso-me orgulhar de dizer que mantenho os mesmos amigos desde os meus 5 anos poucos mas verdadeiros <3
    beijinhos, Akira do Viver num t0

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Compreendo-te perfeitamente, porque eu também sempre fui introvertida. Mas felizmente, ambas chegámos a essa conclusão e agora tenho poucos amigos mas bons :).

      Eliminar