!-- Javascript Resumo Automático de Postagens-->

5.7.17

Feito com amor


O melhor conselho que a minha mãe me deu foi o seguinte: " Faz tudo com amor, e tudo sairá melhor". Estava eu, a passar a ferro, quando ela me disse isso. " Está bem passado, mas falta-lhe um toque de amor". Ao início, não compreendera aquilo que ela disse, pensava que era mais uma frase feita como tantas outras que as mães dizem para tentar pôr um pouco de juízo na cabeça dos filhos. Só passado muito tempo é que percebi o quão valioso e útil me foi este conselho. 

Como sabem, estou no 2º ano de Enfermagem ( a caminho do 3º agora, yey!) e, este ano, estagiei em vários sítios, muitos destes em contexto hospitalar. O primeiro estágio deste ano foi em Oncologia, que foi bastante duro, tanto fisicamente como psicologicamente. Nas primeiras semanas de estágio, confesso que não me saí lá muito bem. Deixei-me dominar pelo medo de errar, pela ansiedade e pela insegurança. Não é que eu não soubesse fazer as coisas, porque sabia, mas deixava que toda aquele nervosismo e insegurança me afetasse, como uma névoa de fumo que nos impede a visão. Os meus orientadores diziam-me constantemente que eu sabia as coisas, mas não as estava a aplicar na prática e, quando aplicava, era sempre com alguma hesitação.

A meio do estágio, sabia que as coisas teriam que mudar, ou o meu futuro neste curso poderia estar comprometido. Por isso, pus a minha insegurança de lado, e comecei a pensar em como tudo começou, na razão pela qual eu entrei neste curso em primeiro lugar. Não foi por causa de me meter em mais testes, em mais  trabalhos de grupo nem em mais pressões causadas pelas notas ( para isso, desistia de estudar e ia trabalhar): foi por causa do meu interesse e, sobretudo, amor por este curso. Porque, no fundo, se pensarmos bem, é o amor por algo ou alguém que move todas as nossas ações, para o bem e para o mal. Se as vossas ações não são movidas por amor, deviam ser. Porque, acreditem, têm muitos melhores resultados.

Após esta análise anterior e da epifania que finalmente tive ( dando, mais uma vez, razão à minha mãe. Fogo, as mães têm sempre razão!), decidi ir para o estágio com outra atitude. E, de repente, quase como magia, as coisas começaram a melhorar: comecei a aprender muito mais depressa, a fazer as minhas tarefas muito mais depressa e com mais eficácia, a estabelecer uma melhor relação com os meus doentes... Tudo isto porque, em vez de colocar medo e ansiedade nas minhas ações, decidi colocar  amor. 

O meu caso para ser um bocado extremo, mas eu sou assim: se não gosto de algo, não consigo fazê-lo, não há meio termo. Por outro lado, se adoro mesmo algo, arranjo maneira de ser bem sucedida. Por isso é que eu acredito mesmo que é quase impossível ser-se um profissional incrível em algo que não se gosta. Até podem ter competências, até podem ser bastante bons naquilo que fazem mas, se não gostarem daquilo que estão a fazer, nunca serão incríveis. Serão aquele tipo de profissional que recebe elogios como " até é um bom profissional" em vez de " é um profissional que mudou a minha vida". 

Estou aqui a divagar sobre a importância de fazer coisas com amor enquanto profissionais, mas não é só no mundo de trabalho que esta atitude se aplica. Qualquer coisa, mas mesmo qualquer coisa, sairá muito melhor se for feita com amor. Um simples jantar poderá parecer uma refeições digna de estrelas michelin se for feita com amor. Uma cama poderá estar mais bem feita do que outra porque, pura e simplesmente, foi feita com amor. Uma casa poderá parecer mais limpa e radiante porque foi limpa com amor. Tudo aquilo que seja feito com amor sairá muito muito melhor do que aquilo que é feito com uma atitude de " vamos cá despachar isto".

É um conselho que a minha mãe me deu, que guardarei para toda a vida. Em todas as minhas ações nesta vida, tentarei sempre lembrar-me daquilo que ela me disse. E gostaria que vocês, que estão a ler isto, façam o mesmo. Depositem sempre um pouco de amor em tudo o que fazem. Verão que tudo correrá melhor.

16 comentários:

  1. quem corre por gosto nao cansa! :D as coisas com amor ficam melhor mais bem feitas ^^

    TheNotSoGirlyGirl // Instagram // Facebook

    ResponderEliminar
  2. Mas é mesmo verdade, fazer tudo com amor faz a diferença. Não sei é se ainda existe em maioria...
    THE PINK ELEPHANT SHOE

    ResponderEliminar
  3. Amei este post, saiu-te mesmo do coração e nota-se que foi escrito com amor. Espero que o terceiro ano corra assim, cheio de amor! :)

    ResponderEliminar
  4. eu tento mas como odeio passar a ferro é impossível aahahaha

    ResponderEliminar
  5. Concordo totalmente. Se não metermos amor naquilo que fazemos as coisas parecem que ficam incompletas. Temos que dar tudo de nós para fazer sentido!

    ResponderEliminar
  6. I'm following you now. Visiting you back! Thanks for your comment. Waiting for more content in the page.
    Greetings!
    https://chicporadnik.blogspot.com

    ResponderEliminar
  7. Muito verdadeiro, bonito e bem escrito este texto. Parabéns e ainda bem o que li logo pela manhã!
    Beijinhos :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada :). Espero que te tenha ajudado a ter um dia mais positivo :).

      Eliminar
  8. Tens imensa razão no que dizes e a tua mãe também :P

    ResponderEliminar
  9. É tão bom ter mães que nos inspiram assim, não me canso de o sentir, nem preciso de o dizer muitas vezes, mas sinto-o profundamente: A minha mãe é a minha melhor conselheira. Sempre que ela me dizia «Trabalha com amor», não percebia de todas as vezes. Porém, à medida que fui crescendo e deixando o meu coração comandar também um pouco a minha vida, tudo se tornou mais simples e bonito. Porque, pôr amor nos acontecimentos do dia-a-dia nem sempre é mais fácil, porém, é seguramente mais simples. Tudo se faz se se fizer com amor.
    Gostei mesmo muito muito muito muito destas palavras que nos escreveste. Reflectes de uma forma sincera e verdadeira.
    Beijo gigante,
    Joaninha.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem sempre é fácil, verdade, mas é a melhor maneira de fazermos as coisas e de atingirmos os nossos objetivos :).
      Muito obrigada linda :).
      Beijinhos

      Eliminar
  10. Ao contrário de ti, existem coisas que faço, mesmo não gostando, porque acredito que se me esforçar por entender os benefícios que elas me poderão trazer, acabarei eventualmente por gostar de o fazer - temos o exemplo do exercício físico. Eu detestava este tipo de atividade, até ser apresentada a um novo conceito de treino, o que me suscitou um interesse grandioso, e o qual conservo como um boost para os dias em que não me sinto motivada. O facto de ter aprendido a gostar de exercitar que não a tradicional, ensinou-me a gostar de fazê-lo, e isso permitiu-me amar o exercício que faço.

    E não poderia concordar mais contigo! Para além das coisas ficarem bem feitas, o nosso coração palpitar, e o sorriso ser dos mais radiantes, o amor que depositamos nos nossos afazeres, na nossa vida, torna-nos em personalidades mais bem-resolvidas, mais capazes de ultrapassar barreiras e o tempo não custa a passar! As dificuldades amenizam-se e o evoluímos como uma bela semente bem tratada!

    O mesmo conselho se aplica a ti: nunca te esqueças de viver a vida com amor, independentemente das adversidades!
    Beijinho,

    LYNE

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu é uma qualidade e talvez um defeito ao mesmo tempo, não consigo fazer nada de jeito se não gostar. Antes, também não gostava de exercício físico, mas depois fiz como tu, optei por escolher métodos menos tradicionais, e quando ando na bicicleta estática, é sempre com música que é muito mais divertido :).
      Exatamente!
      Muito obrigada pelo conselho :).

      Eliminar