!-- Javascript Resumo Automático de Postagens-->

28.6.17

O aborrecimento não existe


Há uma frase muito gira que eu encontrei num livro . É de David Foster Wallace, que dizia, passo a traduzir " Não ser aborrecido... é a chave para a vida moderna. Se tu és imune ao aborrecimento, não há literalmente nada que não consigas alcançar". Identifiquei-me tanto com esta frase, e percebi que esta descreve a minha vida.

Quando era mais nova, e chegavam as férias de verão, também conhecidas como " férias grandes", eu dizia sempre " este ano é que vai ser!" Divertia-me imenso nos primeiros dias, sempre cheia de planos, mas passado uma semana, já me ouviam a dizer a frase " Não tenho nada para fazer.". Aborrecia-me. Aborrecia-me porque achava que não tinha nada para fazer, que estava sempre fechada em casa, e que a minha rotina era sempre a mesma: acordar, comer, ver televisão, jogar, dormir e repetir.  Não fazia mais nada para além disso.

Porém, a verdade é que também não me esforçava. Não me esforçava para ter novas ideias, para tentar fazer algo novo, ou para simplesmente mudar a maneira como fazia as coisas. Limitava-me a fazer o mesmo de sempre, culpando os meus pais por não me deixarem sair tanto quanto gostaria, e lá continuava eu, sempre na mesma rotina. Agora que olho para trás, apetecia-me bater a mim própria por achar que o aborrecimento é algo que existe.

Na verdade, o aborrecimento não existe- pelo menos, não da maneira que pensamos que existe. O aborrecimento é algo subjetivo. Se pensarmos bem, não há nada neste mundo que seja universalmente aborrecido. Para mim, economia é aborrecido, mas para muitos colegas meus é fascinante. Para eles, estudar doenças é aborrecido, mas para mim é muito interessante. O que para uns é aborrecido, para outros é fascinante.

Se achas que algo é aborrecido é porque, provavelmente, estás no lugar errado, ou simplesmente estás a fazer algo de forma errada. A partir do momento, em que certo verão, por volta dos meus 14 anos, me apercebi disto, comecei a mudar a forma como fazia as coisas, a ver programas e filmes mais interessantes na TV, a jogar aquilo que realmente me divertia, e passei a fazer mais daquilo que realmente adoro, como ler e escrever, paixões que me levaram a criar este blog, que me introduziu outras tantas coisas.

O aborrecimento não existe se nos deixarmos guiar sempre pela nossa curiosidade, pelas nossas paixões e, sobretudo, pelos nossos sonhos. Se nos guiarmos por isto, é como diz David Wallace, não há nada que não consigamos alcançar.

18 comentários:

  1. Nunca tinha olhado para o aborrecimento dessa forma, mas concordo com tudo o que disseste, é bem verdade. :)

    http://recomecar-mariana.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. Nunca tinha pensado desta forma mas faz todo o sentido!

    ResponderEliminar
  3. Quando olhamos para a vida desta forma, ela fica mais leve. A nossa felicidade não depende de ninguém, assim como o aborrecimento. É um bom post para refletir. :)
    Beijinhos!

    https://avidaebelaaa.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  4. Faz muito sentido!!!
    Beijinhos.

    http://opecadomoraemcasa.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  5. nunca tinha pensado nas coisas nessa prespetiva, wow Cherry, adorei! Parabéns pelo trabalho excelente que fazes todos os dias no blog!

    ResponderEliminar
  6. É, eu também nunca tinha parado para pensar conforme você mencionou....pior que é verdade....que coisa!

    Beijinhosss
    Blog Resenhas da Pâm

    ResponderEliminar
  7. Antes de mais obrigada pela visita!
    O aborrecimento deve ser bem incómodo!
    Raramente me aborreço!!!

    ResponderEliminar
  8. Adorei o post e concordo completamente contigo! Criei o meu blog no verão passado, numa altura em que "não tinha nada para fazer". Hoje é talvez o que mais gosto de fazer!
    Beijinhos!

    http://biaentresonhos.blogspot.pt/
    http://biaentresonhos.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vês, arranjaste algo bastante interessante para fazer :).

      Eliminar
  9. Acho que tens razão faz todo o sentido. Beijinhos
    https://asreceitasdasisi.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  10. Acredito muito nisto, porque, por várias vezes estou a fazer algo e penso «Que seca descomunal, isto está a ser mesmo aborrecido». Se antes me deixava ficar no mesmo sítio e absorver toda aquela má energia, agora, levanto-me da cadeira, do tapete, saio do sítio, sala, restaurante, e mudo o disco para algo que me agrade e satisfaça. Para quê prolongarmos uma sensação que só nos faz mal?
    Beijinhos, Cherry, minha querida amiga, muito pensadora eheheh

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exatamente, agora também faço isso.
      Beijinhos, minha querida :).

      Eliminar