!-- Javascript Resumo Automático de Postagens-->

5.8.16

O verdadeiro significado de " A idade é apenas um número"


Há uns anos atrás, quando eu entrei na adolescência, tive necessidade de me afirmar perante os meus colegas e adultos de que já não era uma criança. Comecei a preocupar-me mais com a aparência, a arranjar-me, a maquilhar-me, comecei a comportar-me como se fosse uma adulta ( muito embora não o fosse, ainda agora não o sou completamente)...Tudo coisas normais desta fase da vida.

O que não foi normal foi deixar de fazer coisas que gostava só porque considerava que isso eram atitudes infantis, que não iria parecer adulta aos olhos dos outros. Deixei de comer gomas, de comer algodão doce, deixei de andar nas atrações de parques de diversões, deixei de ver desenhos animados ( mesmo aqueles, como " The Simpsons", que à partida só os adultos é que entendem algumas piadas, descobri eu mais tarde)... Tudo para parecer adulta.

Olhando para trás agora, acho que tive uma atitude estúpida e, ironicamente, infantil ( exatamente aquilo que eu não queria ser). Tendo já percebido por experiência própria como tempo passa depressa, é ridículo desperdiçar esse tempo não fazendo o que se gosta só para parecer adulta.

Desisti de fingir que era adulta, e comecei a fazer tudo aquilo que gosto, tudo o que me apetece, independentemente da faixa etária a que essas coisas se reservam. Se me apetecer comer algodão doce num dia, como, nem que as outras pessoas achem que isso é mais para as crianças. Se me apetece andar num carrossel, nem que seja por nostalgia, ando, independentemente dos olhares que me lançarem. Se me apetecer ver desenhos animados, vejo ( ainda no outro dia vi " O Corcunda de Notre Dame" que estava a dar, por acaso, na televisão), mesmo que os meus pais me repreendam por estar a ver coisas infantis. Faço aquilo que me apetecer, sem me importar se se destina ou não à minha faixa etária.

Mas isto não só se aplica a vontades momentâneas. Também se aplica a realizarmos sonhos que achávamos que só podíamos realizar na infância. Por exemplo, muita gente tem o sonho de ir para o ballet, e não vai porque acha que se não começaram aos 4 anos, já são velhas de mais, já não tem a flexibilidade nem energia para tal ( eu era uma dessas pessoas). Depois de ler este texto, soube que isso era um mito. Há aulas de ballet para adultos, por isso se for essa a vossa vontade, agarrem-se à oportunidade e inscrevam-se. O mesmo aplica-se a quem quer tornar-se dançarino/a, ginasta, ou jogador de futebol. Podem já não chegar a profissionais ( ou podem chegar, quem sabe? Esta vida está cheia de surpresas), mas ao menos vão atrás daquilo que vos faz feliz.

Pode ser um cliché repetido já vezes sem conta até à exaustão, mas é verdade: A idade é apenas um número. E embora eu diga isto muitas vezes, só agora é que eu comprendi o seu verdadeiro significado. Temos que viver intensamente, e fazer as coisas  que nos fazem felizes, independentemente da idade a que supostamente se destinam. E não se preocupem com o que os outras pessoas pensam. Na verdade, elas estão demasiado concentradas nos seus problemas que nem vos julgarão por mais de 5 minutos.

20 comentários:

  1. são atitudes normais que todos nós temos, estou nos meus 25 anos e nunca me senti tão criança como se sinto hoje, temos de deixar de lado o que as pessoas pensam e agir como nós queremos isso sim é crescer :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora nem mais, temos que esquecer o que as outras pessoas pensam e sermos nós próprios.

      Eliminar
  2. Lindas palavras Cherry, identifiquei-me muito o que disses-te!! Sem dúvida que não podemos deixar de fazer aquilo que gostamos só por causa da idade porque na verdade... ser criança é ser feliz!

    Beijinhos!

    https://foxwhisper.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. Todo o teu comportamento é super natural de quem atravessa a adolescência - eu, tu, nós todos agimos e nos comportamos de forma a dar entender que já éramos super crescidos quando na realidade... estávamos um pouco longe disso!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É tão verdade! Quando era mais nova, achava que já era muito adulta, quando na verdade nem o era, nem agora estou perto disso.

      Eliminar
  4. "A idade é apenas um número" - enquanto se é jovem.
    Quando a idade começa a pesar, vais ver que ela não é apenas um número. Para ti é - para mim nem existe. Existe sim, a maturidade, que sempre tive um pouco acima da «idade». Mas a idade.. é um conceito de tempo, que é até muito recente. Se perguntares talvez descubras que há apenas umas gerações atrás não se celebravam aniversários, porque as pessoas não contavam os anos que tinham. Não era importante a idade. E sim a PESSOA.

    Mas isso de ser um número é verdade. Passou a ser um número que dita muita coisa. Dita se estás apta para ser mãe ou se já "passaste do prazo", dita se já estás "velha" para certos empregos, implica a proximidade da "menopausa", das dores "da idade"... A partir do momento em que esse número conta em documentos de identificação, passou a contar para muitas outras coisas superficiais também. A publicidade não é dirigida a "números altos", e sim a adolescentes. É feita por adolescentes. As montras estão penduradas em manequins de aparência jovem, corpo perfeito. E os outdoors dessas mesmas lojas mostram que quem se diverte em passeios na praia, em festivais de música, quem usa phones, que usa telemóveis são... tudo malta jovem.

    A idade DEVIA ser apenas um número. A verdade é que a idade não interessa.
    Mas a sociedade gira em torno dela. Logo, a verdade deixa de ser o que importa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Compreendo perfeitamente o teu comentário, mas tenho que discordar. A verdade não é ditada pela sociedade e não é um dogma, a verdade é a perspetiva de cada um.
      Concordo que a sociedade dá demasiado importância à idade, o que leva a várias injustiças, como não aceitarem certas pessoas para certos empregos por causa do " número alto", tal como tu falaste. Mas a sociedade não é perfeita e vai ter sempre certos preconceitos, mas que são ultrapassáveis, mas para serem ultrapassados tem que começar nas pessoas enquanto indíviduos, e só depois pode passar para o coletivo. A sociedade também é racista, e vais desisitir dos teus valores e ser racista porque a sociedade o é? Eu acho que não.

      A publicidade não é só feita para adolescentes, e não é de todo feita por adolescentes. Existem sim, publicidades que são exclusivamente feitas para adolescentes, mas existem muitas outras publicidades, como de carros, produtos de limpeza, seguros, cremes, perfumes, que são feitas para adultos.

      Quanto às montras e manequins, o mundo ainda tem que evoluir nesse aspeto. Nem todos nós temos um corpo perfeito, por isso não faz sentido fingirmos que sim e pôr as montras dessa maneira.

      Isto tudo para dizer o quê: A verdade interessa sim. Não podemos deixar que a sociedade te corrompa e que te mude o pensamento. É por muita gente se conformar e tentar-se ajustar a padrões irrealistas que a sociedade impõe que o mundo não avança. Se cada um de nós se comprometer a mudar, talvez estes padrões irrealistas mudem.

      Eliminar
  5. Temos mesmo que fazer o que nos deixa felizes. Aprendi da pior maneira o que é desperdiçar tempo e não quero repeti-lo. Agora, cada dia é vivido intensamente, seja a descansar em casa, seja a andar de uma lado para o outro a fazer coisas que gosto e têm de ser feitas para o meu bem-estar!
    A idade é apenas um número, porque, na verdade, somos crianças para sempre.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exatamente, nós seremos sempre crianças por dentro, e temos que fazer o que nos faz feliz e ir atrás dos nossos sonhos :).

      Eliminar
  6. Quando ouvia sempre essa expressão pensava que o significado era totalmente outra coisa. Nunca pensei dessa forma e sinceramente, acho que é a forma mais acertada. Acho que o significado de "A idade é apenas um número" é mesmo esse. Tenho quinze anos e vejo o Disney Channel na maior parte do tempo, e uma amiga minha (da mesma idade) acha que isso é infantil, sei lá, ela uma vez chegou a dizer-me que nunca contaria a ninguém esse meu segredo, quando na verdade nem é um segredo e não tenho medo de o dizer.

    http://mariana-a-desorientada.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se tu gostas de ver Disney Channel vê, e não te preocupes com o que essa tua amiga diz. Se ela fosse mesmo tua amiga, não te julgaria, cada um tem os seus gostos :).

      Eliminar
  7. Cherry tomaste a decisão acertada! Nunca deixes alguém dizer o que tens ou não de fazer, segue o teu coração e vontade sempre.
    Eu adoro andar de baloiço, brincar na areia e comer gomas! Porque é que tem de haver actividades ou comidas de criança, adolescente ou adulto? Não entendo. O mais importante é sentirmo-nos bem connosco próprios :)

    Viver a Viajar

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exatamente, temos que fazer aquilo que nos faz felizes :).

      Eliminar
  8. Adorei o teu texto, identifiquei com o que escreveste! Quando entramos na adolescência cometemos alguns erros e um dos principais é realmente querermos ser adultos de um dia para o outro. Óbvio que anos depois, quando realmente já temos responsabilidades, juízo...verificamos que desperdiçamos a nossa adolescência em coisas parvas! Nunca devemos deixar de ser crianças!!
    Beijinhos

    http://annahandtheblog.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada :).
      É isso que eu sinto, sinto que desperdicei parte da minha adolescência a tentar ser adulta, quando era óbvio que não o era. Felizmente, apercebi-me do erro a tempo e agora sou feliz, sem me importar com o que os outros pensam :).

      Eliminar
  9. Ora nem mais! A idade é mesmo um simples número que nos acompanha! Penso que essa ideia de que a idade começa a influenciar as pessoas parte sempre da ideia de que, quando chegamos aos 18, a nossa vida muda completamente! Até ao 9°, eu pensava assim... Mas depois de ver o tempo passar, apercebi-me de que a idade não é nada comparada com as coisas que eu já fiz ou faço atualmente. Da mesma maneira que existem sonhos que se modificam, outros permanecem e o importante é lutarmos por eles, seja qual for a data que assinala o nosso nascimento!
    Quanto às atitudes de que falas, acho que todos acabamos por passar por essa fase, mesmo que por meros dias. Tudo isso não passa da pouca consciência de que aquilo que nos muda não são os anos, mas sim aquilo que vamos fazendo ao longo deles, e aquilo que vamos aprendendo também! O importante é que aprendamos a ser o que realmente viemos para ser!

    Beijinhos!
    A Vida de Lyne

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exatamente, eu também achava que os 18 anos iriam mudar radicalmente a minha vida, e tal não aconteceu. Não é a idade que muda a nossa vida, nós é que temos que tomar atitudes e evoluir.

      Eliminar
  10. Ola! Eu tambem tenho duvida, estou a 3 meses de fazer 25 anos e preciso decidir minha profissao, sempre quis ser atriz internacional, mas estou em duvoda se começo aqui no Brasil com o Teatro na faculdade, ou com teste de malhação, ou esquecer e fazer outra faculdade, escolher outra profissão. O que pesa é o medo de tentar uma faculdade, me formar, e não usá-la depois... E já me sinto tão velha para entrar na minha 4a faculdade, tão triste... Obrigada

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se é mesmo esse o teu sonho, acho que não devias desistir. Tira essa curso na faculdade e, vai a castings e talvez consigas. Se não quiseres perder mais 4 anos na faculdade, não precisas, existem muitas atrizes bem sucedida das que nunca tiveram esse tipo de formação ( embora eu reconheça que é uma mais valia, mas não é essencial).
      Espero ter ajudado :).

      Eliminar