!-- Javascript Resumo Automático de Postagens-->

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

7 razões pelas quais resistimos das coisas que nos fazem felizes


Lendo o título do post, parece estúpido. " Porquê é que uma pessoa haveria de resistir da felicidade?", pensam vocês. A verdade é que muitos de nós o fazemos inconscientemente. Muitos de nós não fazemos coisas que nos poderiam trazer felicidade por as mais diversas razões, algumas bastante surpreendentes.

Cada vez me convenço mais de que a felicidade não é um objetivo muito longe de alcançar, " o topo da montanha", mas é uma atitude, uma escolha, " o caminho para a montanha". A nossa felicidade é feita da maneira como encaramos a vida, da maneira como pensamos, das escolhas que fazemos, das atividades que fazemos e das pessoas que escolhemos ter por perto. E, a partir do momento em que começamos a refletir sobre o que estamos a fazer e sobre porque é que o estamos fazer, é mais fácil não resistir a certas coisas que nos fazem felizes.

Portanto, hoje vou falar de algumas coisas às quais resistimos e que nos poderiam fazer felizes, e o que fazer para mudar isso.


1. Por vezes, certas atividades são mesmo difíceis: Às vezes, as coisas que nos fazem felizes são também as mais difíceis. Ir ao ginásio todos os dias para perder peso ou estar em forma é difícil, estudar para acabar o curso que sempre desejamos é difícil, sair do emprego que não gostamos é difícil, mesmo escrever posts de manhã pode ser difícil.... É muito mais fácil ficar todo o dia no sofá, a ver "programas  de lixo" na televisão, do que fazer algo pela nossa felicidade. Se te encontras nesta situação, tens que te mentalizar que quase nada nesta vida é conseguido sem esforço. Normalmente, as coisas que valem mais a pena são as mais difíceis, por isso larga a preguiça e vai buscar aquilo que queres, custe o que custar.

2. Aquilo que nos poderá fazer felizes pode deixar outras pessoas desconfortáveis: Há certas coisas que nós queremos que não encaixam nos padrões restritos da sociedade. Vivemos em sociedade, o que significa que as pessoas que te são mais próximas e queridas também se regem por esses mesmo padrões, o que poderá fazer com que estes se sintam desconfortáveis quando tu tentas fazer algo que vai contra os ideais da sociedade ou mesmo os ideais da família ou amigos. No entanto, a vida é tua e tu é que tens a palavra final, por isso se queres fazer algo, faz, porque a vida é demasiado curta para nos preocuparmos com a opinião dos outros.

3. Achas que és demasiado velho/a para começar a fazer algo: Há sempre aquela ideia que, ou se começa desde criança a fazer certas atividades, ou nunca vais ter sucesso/ser feliz. Vou dar exemplos de pessoas que provaram exactamente o contrário. A Carolina do blog Thirteen só entrou para o ballet aos 14 anos ( como podem ler aqui) e, embora não seja uma bailarina profissional, depressa conseguiu aprender e é feliz a praticar ballet. A Joana do blog A Dupla Face de Joana só começou a praticar patinagem artística aos 18 anos ( leiam aqui a experiência dela), e depressa aprendeu e é feliz com isso. Nunca se é demasiado velho para começar a fazer algo que nos faz feliz, o importante é ter vontade e persistência.

4. Não fazes certas coisas porque não encaixa na ideia daquilo que és: Um Doutor que me praxou estava a estudar para enfermeiro ( agora fiquei com a canção de praxe "estou a estudar para enfermeiro" na cabeça ahahahah) e, ao mesmo tempo, era jogador de futebol profissional. Outra pessoa qualquer iria impedir-se de ir para o futebol, porque não encaixava no estereótipo " de ser um enfermeiro". A verdade é que somos muitos mais do que os "rótulos" que nos colocam ou que nos colocamos a nós mesmos, somos seres humanos com várias facetas de nós mesmos, com vários interesses e, sobretudo, várias coisas que nos fazem felizes. Não nos devemos obrigar a escolher apenas uma coisa que nos faça feliz ou coisas que se encaixem num determinado estereótipo, devemos fazer todas as coisas que nos façam felizes, mesmo que essas coisas não tenham ligação umas com as outras.

5. Quando te sentes bem com algo, sentes-te culpado/a: Parece parvo, mas há pessoas assim. Há pessoas que, por se sentirem bem a passar tempo sozinhas, por exemplo, se sentem culpadas, pensam que estão a ser egoístas, mas na verdade não estão ( já dei a minha opinião sobre isto, podem ler aqui) . A sociedade ou mesmo a maneira como fomos educados fazem-nos acreditar que certas coisas não nos deveriam fazer felizes, but who cares o que as outras pessoas pensam? Façam apenas.

6. Tens medo que algo não corresponda às tuas expetativas: Por vezes, tens medo de viajar para determinado sítio ou mesmo experimentar determinado restaurante, porque tens medo que  não corresponda ao que imaginaste, por isso preferes nem fazer, para manter intacta determinada ideia. No entanto, ao não experimentares, estás a perder a possibilidade daquilo corresponder ou ultrapassar as tuas expetativas e de ficares feliz. Tal pode não acontecer, mas não sabes se não tentares.

7. Tens medo de falhar: Esta é a razão mais comum pela qual as pessoas resistem da felicidade. Têm medo de não terem sucesso na atividade que querem experimentar e de serem um fracasso. Em primeiro lugar, não és um fracasso só por teres falhado em algo, és muitos mais do que os teus erros/insucessos. Em segundo lugar, mais vale tentares algo e falhares do que nunca teres tentado. Se falhares, vais sempre aprender algo com o sucedido e a tristeza resultante do fracasso vai acabar por passar. Se forem bem sucedido/a, vais te sentir muito feliz.


E vocês ? Costumam resistir às coisas que vos fazem felizes? Conseguem perceber quais são as razões que vos levam a fazê-lo?

 photo assinatura_zpsrhqg6p3f.png

12 comentários:

  1. Concordo integralmente. Já fui assim. Hoje, aos 43, já não tenho dessas resistências.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem, fico feliz por saber que te libertaste destas resistências :).

      Eliminar
  2. Em parte sim, muitas vezes o medo de falhar é muito grande e por vezes as coisas que nos fazem felizes são as que nos parecem mais longe de alcançar mas acho que tudo tem a ver com o nosso esforço e cabecinha. Uma vez vi um vídeo de um senho que dizia que a chave da felicidade é a gratidão e em certa parte concordo com ele. A partir do momento em que somos gratos por tudo o que temos na vida e quando fazemos aquilo que gostamos então conseguimos achar a felicidade :)

    ResponderEliminar
  3. Não podia concordar mais com o que escrevestes! Por vezes o que os outros podem pensar de n´so leva a que nem façamos metade daquilo que somos capazes e ainda tenhamos uma maior ideia de que vamos falhar...
    Beijinhos,

    A Maiazita

    ResponderEliminar
  4. Só me faz lembrar desporto! Quero fazer mas além de preguiçosa tenho medo de falhar ou de nem sequer conseguir... Objetivo para 2017 :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Espero que consigas concretizar esse objetivo :).

      Eliminar
  5. Isto é tão verdade Cherry, mas só acontece porque pensamos demasiado nas coisas
    http://sunflowers-in-the-wind.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  6. Tens toda a razão, felizmente com a idade passamos a selecionar melhor isso, pelo menos aconteceu comigo. Tanto as atividades que não gostamos, os locais que não gostamos de frequentar, as pessoas que deixam de fazer sentido... com a idade deixei essas coisas de parte, se não gosto da atividade A não faço e pronto, se não gosto de frequentar o café X ou o restaurante Y não meto lá os pés, se a pessoa 1, 2 ou 3 me desiludiu, adeus até um dia!
    Porque temos demasiadas coisas boas na vida para valorizarmos as menos boas, no entanto, é um processo longo e que custa quando deixamos algo que nos foi importante para trás, mas com a idade e a experiência aprendi a ver o "quadro maior" e a longo prazo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, concordo contigo, com a idade percebemos aquilo que é realmente importante e aquilo que é acessório. Também é algo que estou a compreender melhor com a idade.

      Eliminar
  7. Esta foi uma das melhores publicações que escreveste!!! Adorei, do início ao fim, a maneira como expuseste as tuas ideias e concordo tanto contigo! Existem pontos com os quais me identifico, e admito que devo mudar esses hábitos, mas de resto, fico feliz por ter rompido com os obstáculos e ter corrido atrás daquilo que quero!
    Beijinhos!

    A Vida de Lyne

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh muito obrigada <3.
      Fico feliz por saber que conseguiste acabar com alguns destes hábitos :). Eu com uns já acabei, outros ainda estou a tentar lutar contra eles.

      Eliminar