!-- Javascript Resumo Automático de Postagens-->

sexta-feira, 15 de julho de 2016

Razões pelas quais não deves ir para Enfermagem


A 1º fase de candidaturas ao Ensino Superior está quase a começar e,com o começo desta, muitos alunos começam a ter dúvidas em relação ao curso a que pretendem candidatar-se. Por isso, achei interessante fazer um dos muitos posts que já fiz acerca do meu curso, para poder ajudar futuros caloiros a tomar a decisão correta.

Eu sei o que vocês estão a pensar agora. " Então esta gaja fala-nos tanto sobre o curso dela, e agora está a dizer-nos para não ingressarmos neste?". Calma amigos, isto não é o que parece. Se este for mesmo o vosso sonho, apoio-vos totalmente, mas acho que alguém tem que mostrar-vos o lado mais "negro" do curso. Sim porque, no fundo, as escolas de Enfermagem são como empresas, falam muito bem de tudo, fazem muita publicidade, escondendo a verdade ( se bem que, hoje em dia, toda a gente sabe o estado do setor da saúde).

Escrevo este post para não vos acontecer o mesmo que aconteceu a muitos colegas meus. Entram com uma ideia toda cor de rosa do curso, e quando vão para estágio, não é nada daquilo que esperavam. Ser enfermeiro é das profissões mais dignas que existem, mas não é para todos. Eu própria ainda me questiono se estou mesmo no curso certo. Portanto, para verem se é mesmo isto que querem, o melhor é lerem este post antes.

Este post vai parecer muito desmotivador e desencorajador, mas quem gostar mesmo desta profissão, vai ler todos os pontos e continuar feliz e alegre com a sua escolha.


1. Só vais para Enfermagem pelo dinheiro: Obviamente que, quando escolhemos um curso, devemos ter em consideração o salário que esta profissão nos poderá trazer. No entanto, este não deve ser o único fator em jogo para a tua decisão. Nem para entrar em Enfermagem, nem para outro curso qualquer. Mas sobretudo, não entres em Enfermagem só pelo dinheiro. Além de o desemprego neste curso ser cada vez mais elevado, vais ver que deverias receber muito mais pelas horas que trabalhas e pelo esforço que fazes ( e as horas extra que vais fazer nem sequer são pagas).

2. Odeias ter que lidar com pessoas estúpidas: Uma das ( muitas) virtudes que um enfermeiro deve ter é paciência. Muita paciência! Desde colegas estúpidos a pacientes muito " mandões", nesta profissão vais ter que lidar com um variado leque de personalidades, que muitas vezes não são combatíveis com a tua. A paciência é algo que pode ser treinado, mas se odeias mesmo ter que lidar com este tipo de pessoas, pensa melhor antes de entrares neste curso.

3. Estás a fazê-lo pela fama: Ahahah! Esquece lá essa ideia! Tal como já tinha dito aqui, é uma profissão ingrata, por isso ou tens vocação para isto ou então nem sequer entres.

4. Tens fobia a sangue: Enfermagem é uma das profissões mais sangrentas, ou seja, só num dia de trabalho vês mais sangue do que em filmes de terror ( claro que isto depende muito do sítio onde vais trabalhar mas, regra geral, é assim). Se desmaias ao primeiro sinal de sangue, esquece, isto não é para ti.

5. És muito sensível a cheiros: Se o mínimo mau cheiro te dá as voltas ao estômago, reconsidera a tua decisão. Como enfermeiro/a, vais ter que lidar com toda uma série de cheiros possíveis e imaginários. Nem queiras imaginar o cheiro de uma úlcera de pressão grau IV.

6. Tu gostavas de um trabalho em que estivesses sempre sentado/a: Isto não se aplica a todos os enfermeiros, mas a maior parte  está de pé e a correr de um lado para o outro a maior parte do dia.

7. Não gostas de mudança: Mudança é uma coisa constante na nossa profissão. Começa nas pequenas coisas, como o teu horário e o teu salário, até à situação clínica de um paciente, que pode passar de estável para muito instável rapidamente.

8. Tens uma bexiga muito fraca e muito pequena: Há hospitais ( não aqui em Portugal, era só o que mais faltava) que obrigam os seus enfermeiros a usar fraldas! Estamos a falar de  vidas humanas, portanto se há coisa que não podes fazer é estares de 5 em 5 minutos na casa de banho. Obviamente que a tua bexiga pode ser disciplinada ( eu tive que disciplinar a minha em estágio, porque também sofro com isto, estou sempre a ir à casa de banho em casa), mas se tiveres mesmo alguma doença que te obrigue a ir muitas vezes à casa de banho, o melhor é repensares nas tuas hipóteses.

9. Não tens as competências sociais necessárias: Nesta profissão, o conhecimento e as competências técnicas só te levam a percorrer metade do caminho. Se queres ser melhor nos cuidados que prestas, tens de ter competências sociais muito elevadas. Competências essas que só podem ser trabalhadas até um certo ponto. O resto faz parte da tua personalidade e já nasceu contigo, portanto se não tens certas competências sociais nesta fase da tua vida, já não as tens.

10. Não gostas de aprendizagem contínua: Na verdade, quase todas as profissões atuais exigem muita aprendizagem, no entanto, se entrares para Enfermagem, terás que aprender continuamente para o resto da vida. A ciência está constantemente a evoluir, e novas técnicas na área de saúde vão surgindo continuamente, por isso terás que estudar continuamente, ir a muitas formações,...


Enfermagem é um compromisso sério, é uma profissão com muita responsabilidade ( afinal, é com vidas humanas que vão lidar), e é por isso que eu digo que não é para toda a gente. No entanto, se assumirem este compromisso pelas razões certas e com todo o coração, então serão muito bem sucedidos e irá ser muito gratificante para vocês.

Enfermeiros/ estudantes aí desse lado? Concordam com o que escrevi ? Acrescentam alguma coisa?
 photo assinatura_zpsrhqg6p3f.png

27 comentários:

  1. Gostei mesmo muito deste post! Uma das dificuldades que enfrentaria caso tivesse optado por enfermagem era sem dúvida a bexiga pequena, se bem que isso se educa.
    Por acaso, a área da saúde também me atrai bastante, mas não gostei de biologia e geologia no secundário, talvez se fosse só biologia tivesse gostado mais. Lendo o que escreveste, acho que não teria muitas dificuldades. Sou desenrascada e não sou muito picuinhas!!
    Contudo, Matemática será sempre o meu grande amor.
    Adorei este post mesmo.

    ResponderEliminar
  2. Ohhh, muito obrigada.
    A bexiga treina-se, se não tens nenhuma doença, é na boa.
    O grande problema do secundário é esse. Por exemplo, a disciplina de Biologia e Geologia deveria ser dividida: os alunos deveriam de ter a opção de estudar ou Biologia ou Geologia, consoante o seu interesse.
    Então terias muito jeito para Enfermagem :). Mas se Matemática é o teu grande amor, força rapariga :).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O meu calcanhar de Aquiles era precisamente Geologia, ter de estudar as rochas, buuuh!
      Porém, sempre adorei Biologia, aliás, tirava sempre excelentes notas na avaliação a essa parte da disciplina...
      É como digo, teria jeito e seria uma opção se Matemática não me atraísse tantoooo :)

      Eliminar
    2. Também era o meu, era horrível aquela matéria!
      O importante é seguires aquilo que gostas :).

      Eliminar
  3. Adorei este post, excelentes dicas, parabéns :)

    * Eu sinceramente vou este ano para o curso de Redes e Sistemas Informáticos e estou assustada ... Todos me dizem que ainda vou calhar numa turma só de rapazes ... E a juntar a isso estive um ano enfiada em casa sem conviver com as pessoas e essas duas coisas assustam-me...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada :).
      Não tenho a cereza, mas é provável que sejam só rapazes xD.
      Não te preocupes, vais ver que vais adorar a faculdade, conheces tantas pessoas novas( mãos do que no secundário) e aprendes tanto :).

      Eliminar
    2. Esperemos que não seja a única rapariga xD Também tem que haver raparigas na informática hehe :)

      Eliminar
    3. São poucas, mas existem :). Aqui na Uminho existem raparigas em engenharias.

      Eliminar
    4. Olá Catarina, desculpa meter-me por aqui mas o teu comentário entra directamente na minha área :) Tirei tanto a licenciatura como o mestrado (e agora estou a fazer o doutoramento) em engenharia informática e a realidade é esta: há MUITO mais rapazes do que raparigas (quando entrei, éramos 22 raparigas em 180 caloiros, e foi um recorde). Mas isso não é, de todo, um problema. Nunca senti nenhum tipo de desconforto, pressão, desvalorização e/ou favores por ser rapariga. No geral, é tudo tranquilo, és só mais um estudante ali no meio, a estudar para tirares o teu curso. Isto foi a minha experiência na FCT-UNL, mas acredito que nas outras universidades também seja assim.

      Eliminar
  4. Acho que o 2 é um ponto que nos acompanha a vida toda. Em relação ao ponto oito, eu não sabia que em certos países têm de usar fralda... talvez não devia, mas dá uma certa piada ahah

    http://mariana-a-desorientada.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu não consigo rir-me do 8, deve ser tão humilhante...

      Eliminar
  5. Eu nunca pensei em seguir enfermagem porque acho que é preciso ter aquela vontade de cuidar, mas, enquanto profissão, tem uma característica que adoro: ser um trabalho dinâmico. Não acho nenhuma piada a trabalhos em que se está sempre sentado, adoro andar de um lado para o outro. Quando estava na biblioteca da universidade a estudar ou a fazer trabalhos tinha que me levantar a cada hora para dar uma volta inteira pela universidade (e era bem grande!). No entanto, o ponto 8 assusta-me um bocadinho. Não tenho uma bexiga pequena, mas bebo bastante água (como é suposto), e faço xixi cinco ou seis vezes por dia. Não podia ser enfermeira :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É, é um trabalho bastante dinâmico, há sempre alguma coisa para fazer.
      Eu sou como tu, também não acho piada estar muito tempo sentada :). Quando estou em época de frequências, tento sempre fazer pausas para andar pela minha casa e arejar.
      Não podemos ir muitas vezes à casa de banho, mas também não é preciso exagerar. Conseguimos fazer na boa 5 vezes por dia.

      Eliminar
  6. Não servia mesmo para enfermeira então ahaha
    Beijinhos :)
    http://those-colorful-words.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  7. Acrescentaria ainda "Se só queres Enfermagem porque não entraste em Medicina". São dois mundos (muito) diferentes e dificilmente alguém que quer muito Medicina será feliz em Enfermagem - contra mim falo, que tentei disfarçar o amor por um curso com o outro.
    De resto, concordo perfeitamente!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, tenho muitos colegas meus que não entraram em Medicina e entraram em Enfermagem numa do tipo " deve ser um curso parecido." , e depois aperceberam-se que era completamente diferente e desistiram.

      Eliminar
  8. Não sou enfermeira, mas tirei o curso de Técnico Auxiliar de Saúde e percebo perfeitamente algumas coisas de que falas... Realmente quem trabalha no ramo da saúde tem de ter muita paciência para saber lidar com diferentes tipos de personalidades e com determinadas situações. Eu era uma pessoa sensível aos cheiros e tive de me saber adaptar aos maus odores (também percebo quando falas relativamente a úlceras de pressão). Acho que quem trabalha no ramo da saúde tem de gostar imenso daquilo que faz e estar lá de boa vontade.
    Infelizmente o trabalho de um auxiliar de saúde não é muito valorizado por maior parte das pessoas, (o que me revolta imenso), mas acho um cargo essencial tanto para o doente como para os profissionais de saúde (principalmente enfermeiros, nunca te esqueças disso).

    Apoio maior parte das coisas de que falas, quem vai para o curso de enfermagem tem de ir com "todo o coração" e gostar essencialmente daquilo que faz (odeio encontrar pelo hospital enfermeiros que estão sempre de mal com a vida).

    Ainda bem que foste tão realista e sincera. Desejo-te toda a sorte do mundo, e só por ler o teu post sei que darás uma ótima enfermeira :)

    Beijinho, Beauty Queen

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Compreendo-te perfeitamente, quando estava em estágio senti muito isso, que a vossa profissão não era valorizada, parecia que as técnicas eram tratadas com desprezo. Mas o que interessa é gostares da tua profissão, o que os outros pensam não importa :).
      Oh, muito obrigada :).

      Eliminar
  9. sinceramente, eu estou em enfermagem e já me perguntei várias vezes se é o curso certo para mim. primeiro, porque sou "nojentinha", segundo porque odeio agulhas, terceiro porque também não sou a maior fã de cenários sangrentos ou a pessoa mais paciente. não penso assim em relação à enfermagem por ser uma segunda opção, porque mesmo em relação à medicina já me tinham ocorrido estes pensamentos e que devia era ser jornalista xD
    o facto de só ter estágio no 3º ano é uma desvantagem, porque nos impede de ter uma noção do que vamos fazer enquanto enfermeiros durante 2 anos. nem quero imaginar se chegasse ao 3º ano e decidisse que não era para mim.
    mas enfim, como tu disseste penso que são coisas que se treinam.
    beijinhos, Noelle :) http://supergirlinconverse.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já somos duas, eu não sei se um dia eventualmente mudarei de curso ou farei outro no fim deste, mas vamos ver...
      Acima de tudo tens que te perguntar se é mesmo isto que queres, e mesmo que só percebas isso no 3º ano não faz mal, conheço muita gente que desistiu no 3º e 4 ano até, e entrou noutro curso. Nunca é tarde de mais para voltar a estudar, vais sempre a tempo de mudar.

      Eliminar
  10. Cherry,

    Gostaria um dia de te contar o meu percurso académico, porque talvez te ajude de alguma forma na tua indecisão que é perfeitamente natural. Acredita. Eu não tive esse impasse porque escolhi enfermagem numa altura diferente da minha vida. Depois de estar prestes a finalizar uma licenciatura em Eng. Biomédica no técnico (onde entrei com uma média elevada), decidi que o meu caminho era cuidar. Enfermagem foi uma escolha feita com o coração. A razão apontava noutras direcções. Acontece que agora, adorando enfermagem (quero manter-me na área), encontrei um novo sentido para o meu anterior curso, pelo que tenciono finalizar o mestrado para aplicar em saúde em simultâneo. Ás vezes, um caminho nos leva a outro. :)

    Um grande beiijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada por partilhares a tua experiência :)
      Acho bastante interessante e muito bom estudares duas áreas. É uma hipótese que eu não descarto, talvez tire outro curso depois deste, não pelo emprego , mas pela matéria em si, para aprofundar mais os meus conhecimentos :)

      Eliminar
  11. Pois é, enfermagem não é mesmo para mim. Não te sei dizer muito bem porquê, até porque não me identifico com nenhum daqueles pontos, mas a área da saúde nunca me disse muito.

    Acho que é importante escolhermos uma área que gostemos, claro, mas temos mesmo de saber se vamos para aquele curso pelas razões certas. O teu ponto 1) é muito verdade, e pode ser facilmente transposto para o meu curso: engenharia informática. Muitas pessoas escolhem informática porque vão ter emprego no final e vão ganhar dinheiro. Não é a melhor razão para se escolher um curso superior...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São gostos :).
      Escolher curso por dinheiro é errado, devemos sim ter em consideração o desemprego, mas ter em consideração o dinheiro é muito mau, porque hoje em dia não se ganha muito em quase nada.

      Eliminar