!-- Javascript Resumo Automático de Postagens-->

quarta-feira, 15 de junho de 2016

Coisas que deves considerar antes de te candidatares ao Ensino Superior


Nesta altura do ano, muitos jovens finalistas do Ensino Secundário preparam-se para fazer os seus últimos exames nacionais antes de entrarem na Universidade. A pouco mais de um mês do começo das 1º fase de candidaturas ao Ensino Superior ( já começa no dia 20 de Julho), ainda existem muitos alunos que não sabem que curso vão escolher.

Hoje em dia, existe tanta variedade de cursos em todas as áreas, como Saúde, Economia e Letras, que se torna uma decisão bastante complicada para muitos jovens. Por um lado, querem encontrar o curso dos seus sonhos, mas também querem que esse curso tenha saída e que agrade os pais. A dúvida persiste: seguir a cabeça ou o coração? Na altura das candidaturas ao Ensino Superior, deves usar os dois.

Poderia dizer-vos para simplesmente seguirem o coração, o que seria um bom conselho até, mas talvez não o melhor. Claro que devem seguir o vosso coração, mas também devem usar a cabeça, pois a escolha de um curso envolve diversos fatores além do gosto pela profissão. É desses fatores que eu vou falar hoje.


1. A tua média final de Secundário: A primeira coisa em que deves pensar antes de te candidatares ao Ensino Superior é na tua média final de Secundário. Não estou a falar na média interna nem na média dos exames nacionais, mas sim na soma destes dois. É importante teres em consideração a tua média para saberes os cursos que estão ao teu alcance. Não podes , por exemplo, quereres ir para Medicina se não tens média para tal ( mas se for mesmo o queres, aconselho-te a ficar a melhor notas).

2. Quais as áreas que mais te atraem: Depois de teres considerado a tua média, e teres percebido quais são os cursos que estão ao teu alcance, está na altura de perceberes que área te interessa mais. É saúde aquilo que te move? É as artes? É economia? Perceber qual é área que gostas mais, vai fazer com que excluas certos cursos e diminuas o número de possibilidades, o que torna a decisão mais fácil.

3. Quais são as áreas para as quais tens mais jeito: Provavelmente, estás a perguntar-te agora " Qual é a diferença em relação ao ponto 2?" Pode parecer que não, mas gostar de uma área e ter jeito para isso são coisas completamente diferentes. Por exemplo, eu posso gostar de desenho e não ter jeitinho nenhum para isso, logo não posso ir para artista. É uma questão de fazer um balanço entre aquilo que gostas e aquilo que tens jeito. Como, muito provavelmente, tens mais do que uma área de interesse, é uma questão de veres qual é a área que gostas e para que tens jeito.

4. Provas de Ingresso: Depois de realizares os passos acima, muito provavelmente já terás alguns cursos em mente. Está na altura de veres quais são as Provas de Ingresso que cada curso exige, e qual a nota mínima que os mesmos exigem. Imagina que um determinado curso exige como Prova de Ingresso Física e Química e Biologia, em que tens de ter um mínimo de 14 nas duas, tens 14 a Biologia, mas a Física e Química tiraste 13,9. Já não podes entrar nesse curso, mesmo que tenhas média para tal ( dei o exemplo do 13.9 para perceberes o rigor que exigem, não arredondam notas de exame).Como te falta uma Prova de Ingresso, já não te deixam candidatares sequer a esse curso ( se tentares candidatar-te a esse curso, aceita no PC, mas quando saem os resultados aparece " não aceite" à frente dessa opção).

5. Ver os planos de estudo de cada curso: É muito importante conheceres os planos de estudo de cada curso para saberes o que esperar do mesmo. Às vezes, estás indeciso/a entre dois cursos, e o plano curricular pode ser aquilo que define a tua decisão. Por vezes, um mesmo curso pode ter planos curriculares diferentes de instituição para instituição de ensino, e deves tê-los em consideração para saberes em que cidade tirar esse curso. Na minha altura, não tive em consideração isto, em parte porque os meus pais já tinham definido que entraria na universidade da minha cidade, mas devia ter feito isto para saber melhor o que esperar ( embora eu tenha tido a sorte de ter escolhido aquela que é, na minha opinião, a melhor escola de enfermagem).

6.  Pedir opinião de estudantes universitários: Para teres ainda mais noção do que podes esperar de um determinado curso, nada melhor do que pedir opinião a estudantes universitários que estejam a estudar na faculdade na qual estás  interessado. Se não conheceres ninguém que te possa ajudar, podes sempre pedir opiniões em fóruns como no do Uniarea , ou então podes ler os posts da rubrica Tempo de Antena: Ensino Superior, onde poderás ler textos sobre vários cursos, escritos pelos próprios estudantes.

7. Valores profissionais: Além do gosto na profissão, é importante ter em consideração este fator. Para muitos alunos, a paixão pode não ser o suficiente para seguir uma profissão. Para uns é mais importante o estatuto social, para outros é mais importante a renumeração...

8. Ir para outra cidade ou ficar na tua cidade : Depois de teres visto os planos de estudo, é preciso saber se o curso que te interessa existe na tua cidade ou se tens que ir estudar para outra cidade, ou ainda se tens o curso na tua cidade mas preferes ir estudar para outra. Caso estejas a pensar em ir estudar para outra cidade,  é preciso teres em consideração se tens dinheiro para os gastos no transporte, alojamento, alimentação,...

9. Propinas: O preço que terás de pagar para tirares a tua licenciatura também é algo muito importante a considerar, e é diferente de instituição para instituição de ensino.

10. Contigentes especiais: Depois de teres decidido o teu curso, está na altura de te informares e saberes se vais concorrer com um contigente normal ou se vais concorrer por contigente especial ( candidatos oriundos dos Açores ou da Madeira , candidatos emigrantes portugueses e familiares , candidatos militares em regime de contrato ou candidatos portadores de deficiência física ou sensorial). Deves informar-te sobre as regras de cada contigente especial e a documentação que precisarás de apresentar.


Espero que estas dicas tenham ajudado os futuros caloirinhos.

E vocês? Que dicas dão ao quem pretende concorrer ao Ensino Superior?
 photo assinatura_zpsrhqg6p3f.png

4 comentários:

  1. Excelentes dicas! Obrigada pela referência ao Tempo de Antena :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada. De nada, é uma excelente rubrica que ajuda imensos jovens do Ensino Secundário :).

      Eliminar
  2. Antes de fazer a minha candidatura, já sabia para que curso queria ir. Mas fiz uma pesquisa completa dos planos de curso de todas as faculdades do país, como dizes no ponto 5. Para mim, é um dos pontos mais importantes e que muita gente nem sequer considera. Os cursos não são iguais em todo o lado, e isso pode fazer muita diferença na formação.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu , na minha altura, não fiz o ponto 5 e arrependo-me, porque me podia ter saído caro e corrido mal. Por acaso correu bem, entrei naquela que, na minha opinião, é a melhor escola de enfermagem do país :).

      Eliminar