!-- Javascript Resumo Automático de Postagens-->

sábado, 28 de maio de 2016

Problemas de quem tem pouca capacidade de síntese


É oficial: sou uma pessoa com pouca capacidade de síntese. Comecei a fazer o meu relatório de estagio há um dia e já fiz 5 páginas. O grande problema é que este só pode ter, no máximo 10 páginas, e ainda falta fazer a introdução e conclusão, reflexão sobre o estágio, responder a uns mil resultados de aprendizagem... Não sei como é que eu vou conseguir fazer isto tudo em apenas 10 páginas.

Gosto muito de escrever. Gosto, muito, muito mesmo! O que, na maior parte das vezes, é uma qualidade, transforma-se num defeito em situações em que me são impostos limites/ palavras/ páginas ( como é o caso do meu relatório de estágio).

Durante todo o meu percurso escolar, na disciplina de Português, enquanto muitos se queixavam que X palavras era muito para escrever, eu queixava-me que eram precisas muitas mais palavras para escrever o que eu queria escrever. Muitas vezes, eu perdia quase 15 minutos de um teste a  cortar palavras, para poder cumprir o limite imposto e não me descerem a nota. Cada vez que tinha que cortar partes das minhas composições, ficava frustrada porque sabia que o resultado final não iria ser o mesmo, que não iria ficar um texto tão espetacular como ficaria se os professores não impusessem limites de palavras. Os professores adoravam as minhas composições na mesma, mas tenho a certeza que ainda teriam adorado mais se as lessem na sua versão completa.

Apesar de estar num curso de ciências, a minha cabeça não funciona da mesma maneira que funciona a dos outros alunos. Os alunos de ciências, tipicamente, são mais objectivos, mais sucintos e explicam numa frase o que outras pessoas( como eu) explicariam num texto. Eu, como também tenho uma queda para as Letras, sou mais subjectiva, para mim nada é preto ou branco, há uma infinidade de tonalidades diferentes no meio destas duas cores. Além disso, não vejo as palavras como  um mero instrumento de comunicação: gosto de brincar com elas, fazer trocadilhos, enfeitar um texto com elas, como se de elementos decorativos se tratassem. E quando eu as uso para este fim, acabo ultrapassar os limites impostos. Quando não é por estas razões, é por estar tão absorta naquilo que estou a escrever que esqueço-me por completo das horas e da extensão do texto.

Esta minha falta de capacidade para resumir as coisas até se nota no meu blog. Às vezes, estou tão entusiasmada com um post,  que escrevo, escrevo, escrevo e, quando dou conta, está enorme. Tento cortar partes, mas por vezes não o faço porque estragaria a essência do post. Leitores meu já me disseram que faço posts muito grandes mas, apesar de tudo, lêem-nos à mesma, porque adoram aquilo que eu escrevo ( cada vez que recebo estas mensagens fico tão "awww", obrigada a essas pessoas).

Ter pouca capacidade de síntese tem os seus prós e contras. É mau se tivermos a tentar escrever um relatório ou artigo para um jornal/revista com normas formais a cumprir mas,  por outro lado, é bom se estivermos a escrever um livro.

 photo assinatura_zpsrhqg6p3f.pngE aí desse lado? Alguns de vocês tem pouca capacidade de síntese?

7 comentários:

  1. oh meu Deus, cada vez que leio os teus posts fico admirada com a quantidade enorme de coisas que temos em comum xD
    eu também adoooro escrever, e sempre escrevi imenso. sempre sofri com o mal das composições gigantes e dos limites de páginas, porque acabo sempre por os ultrapassar. basta ver no meu blog, eu bem que tento fazer posts pequenos, mas quando me entusiasmo a coisa não vai lá!
    apesar de também ter andado em ciências e ter gostado também sempre gostei de letras (acho que herdei do meu pai). o que para uns é um tormento por terem que arranjar meia dúzia de palavras para por no papel para outros é ter que arranjar SÓ meia dúzia de palavras.
    parece que tanta coisa nos vai na cabeça que é impossível colocá-la no papel. isto acontece-me muitas vezes e é um bocado frustrante, ver o mundo tão grande que vai na mente de cada um e que não passa disso, por ser difícil transmitir aos outros!
    beijinhos, Noelle :) http://supergirlinconverse.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahahah, realmente nós somos muito parecidas, secalhar somos gémeas e nem sabemos xD.
      Eu não sei de quem herdei, na minha família é tudo 100 % de ciências, sou a única que tenho queda para as letras.
      Às vezes também me acontece isso, ter tantas ideias na minha cabeça e quando vou pô-las para o papel não ficam tão bem, ou então simplesmente não as consigo meter no papel.

      Eliminar
  2. Até certo ponto também sou como tu. Não gosto de ter limite de paginas ou de palavras (por algum motivo o Twitter irritava-me um bocado) e quando tinha de cortar alguma coisa ficava sempre a sentir que metade da mensagem que eu queria tinha-se perdido. No entanto fui trabalhando os resumos e atualmente já não me chateia tanto porque fui aprendendo a retirar tudo o que não era essencial. Acho que é esse o truque, pegar em textos e resumi-los mas ir diminuindo o numero de palavras de forma gradual. Sem tens 500 palavras tenta resumir em 450, depois em 400, depois em 350. Não é muito fácil mas para quem tem dificuldade no resumo é uma boa forma de começar.

    Beijinho.
    Lilium
    O Meu Dolce Far Niente
    Facebook

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahahahah, eu também tenho um certo ódio pelo Twitter por causa dos limites de caracteres, mas continuo por lá na mesma xD.
      É um bom truque, obrigada pela sugestão :). Mas ainda assim parte-me o coração quando tenho que resumir textos que adorei escrever e que gostava que ficassem como estão.

      Eliminar
  3. Sou um pouco como tu, uma rapariga das ciências com uma grande ligação às letras. Gosto imenso de escrever, de brincar com as palavras e com os sons. No entanto, quando é preciso, consigo resumir e focar-me no essencial.

    A escrita técnica pode ser um desafio, mas sempre consegui escrever facilmente tanto 100 como 1000 palavras sobre determinado assunto. Para mim, estas duas formas sempre foram naturais, mas confesso que prefiro muito mais quando tenho total liberdade e posso escrever o número de palavras que bem entender. Por isso é que muito raramente os meus posts (ou os meus comentários nos blogues, já agora) são pequenos. Mas acredito que com treino tudo se consiga :) Boa sorte nessa redução de palavras!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para mim, está a ser bastante complicado resumir, não me sai natural a mim. Mas bem, vou ter que conseguir, senão descem-me a nota do relatório.
      É como eu, é por isso que gosto da blogosfera, é um sítio onde posso escrever sem limites nem restrições.
      Obrigada :).

      Eliminar