!-- Javascript Resumo Automático de Postagens-->

quarta-feira, 25 de maio de 2016

Porque devemos dizer " reeducação alimentar" em vez de "estou de dieta"


Não acredito que estamos em 2016 e as pessoas ainda dizem "estou de dieta". Como se depois de perderem aqueles quilos extra pudessem voltar ao que eram, aos hábitos que tinham e a comer as porcarias que comiam antes de entrar na dita dieta. É igualmente estúpido ver nas redes sociais e em publicidades a " Operação Biquini/Verão 2016", que passa a imagem que podemos ser umas "balofas" no Inverno, mas alto aí que em Abril já temos que começar a emagrecer. Depois do Verão, já podem comer outra vez as comidas calóricas que comiam porque a época balnear está encerrada. Não consigo entender como pessoas adultas, bem formadas, têm este tipo de pensamentos.

Há quase 2 anos atrás, a minha prima nutricionista, na altura ainda estudante de Nutrição, decidiu usar-me como cobaia e fez-me uma consulta que mudou por completo a minha relação com a comida. Naquela altura, tinha eu 17 anos ( estava este blog a dar os primeiros passinhos), eu estava no secundário e devo dizer que me alimentava mesmo mal, só comia porcarias. Até comia bem à hora do almoço e do jantar, mas entre as refeições era uma desgraça: comia croissants, chocolates, batatas fritas... Tudo o que podem imaginar de mais calórico eu comia!

Na verdade, eu fiz isso durante o secundário inteiro, porque sempre fui uma daquelas raparigas invejáveis que comia tudo o que lhe apetecia e não engordava um grama. Acontece que quando chego aos 17 anos o meu organismo mudou , e como eu não reparei de imediato nessa mudança, engordei 5 quilos. Muitas mulheres que leiam isto dizem " 5 quilos? Grande coisa, eu no Inverno passado ganhei 10!".  Mas para mim, que sempre fui magra, aquilo foi um grande abalo na minha auto-estima.

Apesar de tudo, fui capaz de interiorizar que o número que via na balança não me definia, e que de qualquer das formas eu iria resolver esta situação depressa. Decidi pedir ajuda à minha mãe. Não foi boa ideia, porque a minha mãe fez-me uma daquelas dietas iô-iô, em que se passa fome, perde-se um quilo numa semana e engorda-se dois quilos na seguinte.

Tentei muitas outras dietas "famosas" antes de recorrer, já desesperada à minha prima. Se pudesse voltar atrás, dava uma chapada ao meu "eu" antigo, porque era a ela que eu me devia ter dirigido em primeiro lugar. O surpreendente foi que a minha prima  me fez não só uma dieta, como uma reeducação alimentar completa. Ensinou-me a não cortar no pão, mas sim escolher o tipo de pão mais saudável, ensinou-me a comer uma bolacha de cada vez que comia uma peça de fruta entre as refeições para não aumentar os níveis de açúcar no sangue,a escolher chocolate preto quando me apetecia uma gulosice,... Enfim, aprendi tanto com ela e sinto-me tão grata por isso.

" Contaste a tua história toda para chegar aonde?", perguntam agora vocês. Partilhei a minha história com vocês par vos explicar que dizer " estou de dieta" é simplesmente estúpido. Desculpem lá mulheres que estejam a ler isto, a vossa vida foi uma mentira!  Dizer " tenho uma dieta assim e assim..."  já é uma maneira mais correta de falar, contudo não a melhor. O termo mais correto para se referirem a uma mudança nos hábitos alimentares é " reeducação alimentar".

Porquê usar este conceito em vez de usar o conceito "dieta"?  Quando nos queremos referir a uma mudança nos nossos hábitos alimentares, dizemos "reeducação alimentar". Isto porque uma dieta é algo que é para toda a vida, ou, pelo menos, até o nosso organismo ou o nosso estilo de vida mudar, portanto não podemos usar esta palavra para traduzir uma mudança ( não sei se me estou a fazer entender, acho que me estou a explicar bem, mas qualquer coisa perguntem).

Uma reeducação alimentar é a melhor maneira de emagrecer sem correr o risco de voltar a engordar tudo aquilo que se perdeu. Além disso, ao contrário do que muitas pessoas pensam, uma reeducação alimentar não é importante só para quem quer emagrecer, mas para todas as pessoas que desejam ter uma vida mais saudável e prevenir as doenças.

Já conheciam este conceito? Acham melhor do que usar o termo "dieta"?


P.S: Este post é apenas a minha opinião obtida com base em conhecimentos aprendidos com a minha prima nutricionista. Não possuo qualquer tipo de formação nem especialização em Nutrição.
 photo assinatura_zpsrhqg6p3f.png

12 comentários:

  1. Sim, sim, sim! Que se lixe a dieta! Eu acho que esse conceito vem da constante restrição de calorias - comes pouco durante algum tempo para emagreceres, a dada altura o teu corpo não aguenta porque quer nutrição suficiente, vai a dieta ao ar e depois voltas ao mesmo. É doentio. Eu nunca contei calorias, mas já usei truques para comer menos - comer em pratos mais pequenos para a comida parecer mais, por exemplo. Hoje não tenho qualquer restrição calórica ou de quantidade, como até estar satisfeita e o meu corpo está cada vez mais saudável. É certo que não como nenhum produto de origem animal mas não o encaro como uma restrição, é tão-só não agredir o meu corpo com comida que não é apropriada para o organismo humano.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Desculpa dizer isto, mas não sei se interpretaste o meu post da maneira correta. Eu não quis dizer para largarem a dieta e comer tudo sem olhar a calorias. O que eu quis dizer foi que devemos pensar em dietas a longo prazo :), que tenham resultados reais, e não aquelas dietas como tu falaste que passado uma semana já se larga. Não sei se me fiz entender bem, como já tinha referido no post:).

      Eliminar
    2. Eu percebi o teu post ;) Mas a minha opinião é mesmo a de que devemos comer as coisas certas sem olhar a calorias. Só que para mim as coisas certas são fruta, legumes, batatas, arroz, sementes, etc. Não há necessidade de qualquer restrição num estilo alimentar deste tipo. Mas quem consome produtos de origem animal, óleos, açúcares processados, etc., deve controlar quantidades, sim.

      Eliminar
    3. Ah, já percebi o que quiseste dizer :). Concordo contigo, não há necessidade de haver restrições, o mais importante é saber comer :).

      Eliminar
  2. Concordo imenso contigo.
    Toda a gente que conheço que experimentou dietas, acabou por voltar ao mesmo.
    As minhas mudanças alimentares não passaram por querer emagrecer ou contar calorias, mas por passar a olhar para a comida, não só como uma coisa que sabe bem, mas como um combustível para o meu corpo.
    Bebia refrigerantes todos os dias, mas agora só de pensar nisso sinto-me enjoada porque é só açúcares e coisas prejuciais ao meu corpo, que não me trazem benefícios.
    O mesmo com os meus pequenos-almoços, que passaram de cereais Nestlé para papas de aveia com frutos secos e fruta ou granola com iogurte natural, que me deixam com mais energia e com fome mais tarde. Também comecei a ter mais em atenção aos acompanhamentos (preferir vegetais e ir rodando, em vez de comer só arroz, massa ou batatas fritas que não têm tantas vitaminas e minerais).
    Não nos devemos restringir só porque sim, mas tentar adoptar uma outra forma de olhar para a comida. Essa nova mentalidade já não é esquecida e tomam-se decisões por gosto e não culpa :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu antes também bebia refrigerantes todos os dias, mas quando um dia decidi ver o açúcar que aquilo tinha deixei de beber, passei a beber água e agora sinto-me muito melhor :).
      É verdade, desde que como de maneira saudável que me sinto com muito mais energia :).

      Eliminar
  3. De facto o termo "dieta" é usado na gíria comum como mudança dos hábitos alimentares mas a verdade é que o termo "dieta" refere-se a todo e qualquer tipo de rotina alimentar, seja ela boa ou má. Toda a gente no planeta faz dieta (ou morreriam à fome :D). Esta é uma das lutas da minha classe, fazer quem está à nossa frente perceber que dieta não significa replaneamento alimentar. Isso e explicar que leguminosas não é a mesma coisa que legumes :b
    Já perdi a conta o número de vezes que amigas minhas ficaram chateadissimas por eu sinceramente opinar que era contra as nutricionistas delas cortarem-lhes abruptamente os hidratos. É o pior que se pode fazer a longo prazo, enfim, aguardo por uma sociedade que perceba de Nutrição além da perspectiva de utilizador :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Imagino que, como (quase) nutricionista, estejas farta de dizer isso às pessoas. Pena que elas ainda não percebam.
      Mas realmente é verdade, uma dieta traduz todo o tipo de rotina alimentar, seja ela boa ou má.
      Obrigada pelo comentário :). Gosto sempre de ouvir a opinião de quem realmente tem formação no assunto.

      Eliminar
  4. Por acaso conhecia o conceito mas não sabia em que medida era diferente de "dieta", mas faz sentido! Obrigado pela tua partilha e agradece à tua prima os ensinamentos :))

    Beijinhos, Dalila ♡ | The Lost Louboutin Blog |

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De nada :). Sim, tenho mesmo que lhe agradecer, se não fosse ela eu não sabia estas coisas, nem metade sabia xD.

      Eliminar
  5. por acaso nunca tinha pensado muito sobre o assunto mas tens toda a razão. dizer estou em dieta soa muito a "estou a passar horrores para ficar magra mas depois vou voltar aos hábitos antigos". É muito mais importante sabermos comer :)
    beijinhos

    http://umacolherdearroz.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exatamete, soa muito a isso, apesar do verdadeiro significado de dieta ser qualquer regime alimentar, mas lá está, é a gíria comum.

      Eliminar