!-- Javascript Resumo Automático de Postagens-->

domingo, 29 de maio de 2016

Acreditar no destino é uma armadilha


Acreditar no destino é uma armadilha. Pode parecer uma ideia muito bonita, romântica até , pensar que o nosso destino está escrito em algum lugar, que desde que nascemos já estamos destinados a ser alguém, a conquistar alguém e a fazer alguma coisa. Tudo isto é muito bonito, mas se acreditarmos demasiado no destino, este torna-se numa armadilha.

Se acreditarmos demasiado no destino, acreditaremos que todo o mal que nos acontece já estava destinado a acontecer e que não podemos fugir a este. Há ainda quem finja que acredita no destino para fugir a qualquer tipo de responsabilidade pelos seus atos, para dizer " a minha vida está assim, mas eu não tenho culpa".

Não me parece que seja esta a melhor atitude. É claro que acredito que certas coisas na minha vida não aconteceram por acaso, mas não me posso deixar-me  levar demasiado por esta crença. Sinto-me uma privilegiada, porque sei que muitas pessoas não nasceram com as mesmas condições do que eu nem nunca terão muitas oportunidades que eu tive. No entanto, esperar que algo aconteça na nossa vida ou esperar que alguém apareça milagrosamente não me parece a melhor maneira de aproveitar os poucos anos que vivemos neste mundo.

É realmente assustador termo-nos que responsabilizar pelos nossos atos. Termos que admitir que, quando algo corre mal, a culpa foi exclusivamente nossa, em vez de culpar entidades divinas ou o destino. É realmente assustador, sufocante e aterrorizante. Contudo, é necessário. Pois admitirmos os nossos erros é o segundo passo para a mudança.

O primeiro passo é libertarmo-nos da crença no destino. Ao libertarmo-nos desta crença, assumimos o controlo da nossa vida, começamos a ver mais claramente  aquilo que está bem e o que está mal, aquilo que nós queremos mudar e aquilo que não queremos. E isso aproxima-nos mais da vida com que sempre sonhamos para nós.

Se não formos nós a tomar as decisões da nossa vida, alguém o fará por nós. E, acreditem,  poderá não ser o destino,  poderão ser outras pessoas que irão tirar proveito da nossa situação.

Já algum tempo decidi que iria assumir o controlo da minha vida. Que iria arriscar mais, perdooar mais, amar mais, divertir-me mais, chorar quando é preciso ( porque alivia a alma), ter menos medo, sonhar mais, criar mais, lutar mais. O que quer que faça, vai partir da minha cabeça e não em crenças.

Fomos colocados aqui, livres. Não vamos agora deixar que crenças como a no destino nos prendam. Vamos esperar que a vida nos passe diante os olhos, ou vamos tomar as rédeas da nossa vida?


 photo assinatura_zpsrhqg6p3f.png

2 comentários:

  1. Compreendo perfeitamente o teu ponto de vista, apesar de acreditar que algumas coisas estão destinadas a acontecer, não devemos ficar a espera que tudo aconteça sozinho.

    ResponderEliminar
  2. Sou das maiores apologistas de que se queremos algo, temos de lutar para o ter. Está tudo nas nossas mãos, e acho que isso dá um sentido de poder incrível. Somos donos da nossa vida, o que quer dizer que podemos fazer acontecer! E isso é maravilhoso. Mas compreendo o outro lado, quando se falha a culpa também é nossa: não tentámos o suficiente, não fizemos o necessário... Por isso é mais fácil dizer que "o destino não quis". Mas eu confesso que não gosto de coisas fáceis, prefiro algo que dê luta, por isso estou contigo: vamos tomar as rédeas das nossas vidas! É uma das melhores coisas que podemos fazer :)

    ResponderEliminar